O Brasil perdeu?

O Brasil acabou de empatar com o México e parece que foi uma derrota. Talvez uma derrota moral, pela tamanha atmosfera que se criou em torno da seleção de Felipão. Como assim Neymar, o mito, não colocou a defesa de um escrete inexpressivo de joelhos? E todo o marketing em volta da invencibilidade da canarinho? E a música do Itaú? E a emoção do Galvão?

Guillermo Ochoa Brasil x México (Foto: AP)

Todos esquecemos que o time brasileiro é uma equipe jovem, com pouca experiência em Copas. Alguns jogadores não encaixaram no torneio, como o Paulinho e o celebrado Daniel “Avenida” Alves. As estrelas nascentes ainda não estão completamente prontas para responder aos momentos de pressão. Apesar da paternidade, Oscar não tem cancha para assumir a responsabilidade pela criação. Já Neymar, por toda vontade que sempre demonstra, isolado, acaba por ser facilmente neutralizado.

Se nossa defesa é sólida e técnica, nosso ataque é vacilante. Jô e Bernard foram convocados à sombra de uma belíssima Libertadores que jogaram. Porém, quando testados no calor da partida, acabam por não corresponder. Hoje vimos um Jô desatento, com pouca criatividade e nenhuma presença de área. Por sua vez, Bernard poderia ter infernizado o lado direito dos chicanos, mas não teve a mesma mobilidade impressionante de seus tempos no Galo. É…o manto amarelo pesa.

Na coletiva de imprensa, pela primeira vez nesse oba-oba de Copa, Felipão foi rude e distribuiu respostas curtas. Disse que nós brasileiros esquecemos que outros times também podem jogar bem e ressaltou a partida milagrosa que o goleiro Ochoa fez. Porém, é inegável que o escrete canarinho tem problemas. Talvez seja muito tarde para perceber, já que a neblina midiática dos últimos meses começa a se dissipar.

 

Foto: Associated Press, extraída do Globo.com

E a Copa Começou, 3×1 Brasil

Estréia de Neymar com 2 gols

Estréia de Neymar com 2 gols

Está tendo Copa do Mundo no Brasil. Hoje, após uma festa de abertura mais ou menos, mais ou menos, o Brasil enfrentou o bom time da Croácia num belo jogo de futebol em São Paulo. E a Copa começou bem melhor do que o jogo de estréia na África do Sul, teve muita emoção na entrada dos times e no hino nacional, teve susto com o gol contra de Marcelo, teve força de recuperação do time brasileiro, com 2 gola de Neymar em sua estréia de Copa do Mundo e um partidaço de Oscar.

O Brasil entrou em campo visivelmente nervoso, o time estava sentindo o peso da estréia, após entrarem em lágrimas no hino nacional, o selecionado canarinho demorou para transformar a energia das arquibancadas em futebol. E nesse momento a Croácia aproveitou, chegou nos contra-ataques pelos flancos, nas costas de Daniel e Marcelo, abrindo o placar.

E nesse momento, o time de Felipão mostrou um poder de reação que ainda não havia mostrado, pois sempre saía na frente do placar. E não decepcionou. Neymar mostrou que pode ser decisivo, abriu um placar num chute cirúrgico, devagar, no santinho: 1×1.

Depois disso o Brasil começou a dominar o jogo. Ganhou o meio campo, Oscar marcava por ele e por Paulinho, que foi mal. Luiz Gustavo fazia a primeira volância muito bem, não deixando Modric gostar do jogo e Davi Luiz foi um monstro atrás.

Fred estava pouco participando da partida, até que demonstrou um poder de atuação muito bom, que ludibriou o árbitro japonês que deu um pênalti para o Brasil, Neymar cobrou mal, mas a bola entrou: 2×1.

E, no final da partida, quando a Croácia voltou a jogar, o Brasil puxou um contra-ataque e o menino Oscar, de bico, lembrando Romário, completou o placar: 3×1.

A estréia foi boa da seleção brasileira e a Copa começou bem, já com cara de Copa do Mundo. Sejam bem-vindos, a Copa é aqui.

Abraços.
Caio Di Pacce.