O gol de Douglas e de Nilmar.

Sábado, o Corinthians enfrentou o Grêmio  no Pacaembu. O timão estava 100% jogando como mandante no Brasileirão, além do mais, o Grêmio não vencia fora desde o ano passado. O resultado do jogo foi: Corinthians 0 x 1 Grêmio, com um golaço do último camisa 10 do time de Pq. São Jorge, o Douglas.

Não vou entrar muito em detalhes da partida, só citando o penalti e a expulsão estranha de Vilson. E mais uma defesa da muralha tricolor Vitor, penalti cobrado por Iarley, o ex-colorado de Quixeramobim. O que mais me atentou na partida foi a semelhança do gol de Douglas com a obra prima de Nilmar no BR09.

A camisa era outra, era do rival colorado, um gol com muito mais dribles, mas o jogador arranca da ponta direita, vai driblando e entra na área pela esquerda, antes de concluir. Veja:

O gol de Douglas nasce da mesma ponta direita, o jogador vê um espaço semelhante ao que Nilmar teve, ele arranca, dribla apenas um jogador, mas que drible, um rolinho perfeito. Depois, ele entra na área na região da meia-lua e conclui com maestria, no ângulo de Júlio Cesar. Golaço:

Dois gols de ex-corinthianos contra o Corinthians, vestindo camisa de times do Rio Grande, duas pinturas que tiveram semelhanças. No momento que vi o gol do Douglas, lembrei-me do gol do Nilmar.

Abraços.
Caio di Pacce.

Anúncios

Chato e perigoso



Não gosto do futebol da seleção brasileira há muito tempo. Mesmo assim, não sou daqueles de torcer contra. No entanto, se você não é o Galvão Bueno, você também não deve ter ficado satisfeito com a apresentação que a canarinho fez frente aos patrícios no dia de hoje.

Na partida pudemos mais uma vez constatar a fragilidade do carrancudo time de Dunga: a ausência de criatividade. No primeiro confronto contra uma equipe que sabe razoavelmente trabalhar a bola, o que se viu foi uma seleção viciada em fazer jogadas por um lado só do campo. Nesse sentido, Maicon foi muito exigido e respondeu a altura.

Mas, ele não pode fazer tudo sozinho. Nem ele, nem o Lúcio, que foi o melhor em campo disparado. Muito superior ao engomadinho Cristiano Ronaldo. Ou só Ronaldo, como ele prefere ser chamado. O zagueiro brasileiro lavou, passou e cozinhou para o time; mostrando competência e muita lealdade.

Felipe Melo continua desfilando sua ruindade pelas gramas internacionais. O pior jogador do campeonato italiano ainda quase prejudicou a equipe, com seu estilo pit-bull de Deus e suas rixinhas com o Pepe. Dunga foi sábio em sacá-lo logo no primeiro tempo.

O destaque positivo depois de Lúcio fica para Nilmar, que joga muito mais bola que o Robinho. Sem estrelismo e jogando para o time, o ex-Inter de Porto Alegre criou boas oportunidades para o insosso ataque brasileiro. Merece a titularidade.

Antes de começar o jogo, já sabia que seria uma partida modorrenta. Isso por que o empate servia para a classificação da colônia e da metrópole. Agora na segunda fase, certamente teremos, finalmente, emoções nos jogos do Brasil. Mesmo que com essa bolinha que o time apresentou, sejam emoções negativas.

Foto: Getty Images