A diferença entre Barcelona e Real Madrid

O até então invícto Real Madrid foi visitar seu rival Barcelona no Camp Nou. Mourinho jamais fora batido pelo clube blau grená. Lembrem-se do confronto homérico da Inter de Milão pela Champions League.

O Pá! Lá se vai minha invencibilidade!

Porém, o Barcelona mostrou a razão de ser maior que os merengues. Uma linda goleada de 5×0 para o time catalão. Os 98.255 espectadores perceberam que a diferença entre os dois em campo foi gritante.

Nem toda a pompa de Cristiano Ronaldo foi páreo para o esquadrão catalão. O Português foi o melhor merengue em campo, o que não quer dizer muita coisa.

O quinteto Messi, Villa, xavi, Iniesta e Pedro não deram chance ao adversário, foi um passeio em campo.

Na minha modesta opinião, a diferença do Barcelona para os demais clubes europeus hoje é a base. Simplesmente 8 dos 11 titulares em campo nasceram do terrão. Algo que é extremamente raro em clubes europeus, já que eles estão acostumados a pinçar e comprar as jóias do terceiro mundo.

Por isso que eu digo: Barcelona, más que un club.

Abraços.
Caio di Pacce.

Anúncios

Os brutos também amam

Conhecidos por suas personalidades fortes e pela pinta de durões, a dupla da Inter de Milão, José Mourinho e Marco Materazzi, protagonizaram uma cena rara no meio do futebol, hoje tão associado aos interesses econômicos.  Após a vitória do último sábado, que levou a Inter ao título de campeã da Champions League, Mourinho já deixava as dependências do Santiago Bernabéu em seu carro, quando, repentinamente, ordenou que o veículo parasse. Encostado numa parede, Marco Materazzi, uma das peças fundamentais do elenco campeão da Champions (e único italiano na finalíssima) aguardava para entrar no ônibus do clube, quando foi surpreendido por um forte abraço de seu técnico, que desatou a chorar copiosamente.

Antes relegada à mera especulação, a contratação de José Mourinho pelo Real Madrid se consumou na tarde desta quarta-feira. A tendência do clube espanhol de sempre apostar na grife é mantida, e resta saber se o novo esquadrão galáctico que será formado conseguirá resultados à altura do investimento.  Para a Inter, a perda é grande. Em apenas dois anos Mourinho levou a equipe italiana a um título que não conquistava há 45 anos, além de levar o Scudetto por duas vezes seguidas. Será um recomeço para o time neroazurri.

La Squadra Migliore Vince Sempre

O fim de semana em Milão teve um crepúsculo azul e negro. Giuseppe Meazza adormeceu com uma soberania herege sobre San Siro. Pela quinta vez consecutiva, a Internazionale de Milano conquistou o Scudetto.

O time de Mourinho faz jus ao seu nome. Dentre os vinte quatro jogadores do plantel, apenas cinco são italianos. Sendo que, no primeiro quadro, apenas Balotelli e Materazzi experimentaram alguma titularidade.

A taça era erguida contra o Siena após um solitário gol de Diego Milito. Enquanto que do outro lado do muro, um melancólico Milan ganhava da vecchia signora na despedida do rubro-tricolor paulista Leonardo. A cartolagem de bicheiro de Berlusconi pode custar a grandeza do time de San Siro nas próximas temporadas. A forma com que se deu a saída do educado Leonardo serve de alerta para um futuro de trevas.

O título da Inter deve ter soado muito bem aos ouvidos de Dunga. Afinal, a linha defensiva da seleção canarinha é a mesma que anulou a infantaria de todo o Calcio desse ano (sem falar no Barça). Júlio Cesar, Lúcio e Maicon mostram entrosamento. Os dois primeiros estão em grande forma técnica, enquanto que o terceiro esbanja vigor físico.

Em comemoração ao décimo oitavo Scudetto da história do clube, seu fornecedor de material esportivo está lançando uma camisa comemorativa. Mesmo com o design moderno, com uns tribais do lado, trata-se de um manto bonito. Assim como são todas as camisas desse belo time italiano.

Fotos: http://www.inter.it