Segurem o São Paulo

O São Paulo recebeu em sua casa o Santo André, que não faz sombra daquele time finalista do Paulistão do ano passado, que teve a taça tirada no apito. O time do ABC não viu o time do São Paulo jogar, ficou atordoado com os 3 x 0 feitos pelo tricolor paulista.

Mas, além da vitória que mantém o time do Morumbi na liderança do Campeonato, o que mais anima os são-paulinos (e preocupa os adversários) é a contratação de Luís Fabiano. O camisa 9 que o São Paulo tanto queria e que tanto merecia.

Foi a contratação mais cara da história do futebol brasileiro, teve uma grande porcentagem de jogada política para a permanência do JJ no poder, mas teve uma outra grande parcela de necessidade de um atacante de referência, que ao lado de Dagoberto, Lucas, Casemiro e Rivaldo, pode dar um belíssimo de um caldo.

Luí   s Fabiano é ídolo dos são-paulinos, ele pode fazer toda a diferença para o time tricolor em 2011, agora o favorito no Paulista, na Copa do Brasil e quiçá no Brasileirão.

- Eu também vou pro pau!

Abraços.
Caio di Pacce.

Enfim Brasil.

O Brasil enfrentou hoje a Costa do Marfim, na minha opinião, o jogo mais difícil da primeira fase, pois trata-se de um time muito físico, de combate, que marca muito; e que encontra uma seleção brasileira ainda se encontrando fisicamente, e ainda se acostumando com a Copa de 2010.

E foi um jogo duro, principalmente no primeiro tempo, quando o time africano obrigava o Brasil começar as jogadas com Felipe Melo, brilhante ontem e Gilberto Silva, que teve uma exibição firme. Mas mesmo assim os elefantes complicavam o jogo para a seleção.

Até que o talento superou a tática, em uma triangulação entre Kaká, Robinho e Luís Fabiano, que deixou nosso camisa 9 na cara do gol. Daquele jeito, ele não perde: 1×0 Brasil.

E assim terminou o primeiro tempo, o Brasil vencendo, mas não convencendo. Já no segundo tempo, o Brasil voltou a ser Brasil. O Brasil de Dunga, da velocidade, do contra-ataque, mas com extremo brilhantismo. Luís Fabiano fez o gol mais bonito que eu já vi da Seleção em Copas do Mundo.

Com dois chapéus, num momento Pelé, e com o domínio com a mão, num momento Maradona, o camisa 9 fuzilou no campo sem chances para o goleiro: 2xo Brasil. O Brasil ainda fez o terceiro com o bom e esforçado Elano, artilheiro do Brasil na Copa.

Mas o maior ganho para a seleção foi a participação de Kaká. O nosso camisa 10 fez uma bela exibição, ainda não totalmente recuperado, mas já muito melhor do que na estréia do Brasil.

O jogo estava tranquilo para o Brasil, mas uma guerra para a Costa do Marfim. O time africano diminuiu com Drogba, em uma falha de marcação brasileira, 3×1, até aí tudo bem, mas o time do Brasil não soube se conter com as divididas duras dos africanos, e do juíz irresponsável.

A Costa do Marfim bateu, foi desleal, mas o time brasileiro não soube se controlar emocionalmente, principalmente Kaká, que caiu na catimba africana e foi expulso infantilmente, com uma cotovelada besta, deixando a seleção sem sua principal estrela.

Dunga tentou tirá-lo de campo, após tomar o amarelo, o treinador mandou os jogadores acelerar o aquecimento, mas não deu tempo, Kaká tomou o vermelho logo em seguida.

Enfim, o Brasil voltou a ser Brasil, para sorte da Copa do Mundo.

Abraços.
Caio di Pacce.