A Copa na Reta Final: Análise dos confrontos

Ontem foi definido os outros dois classificados para as Semi-Finais da Taça Libertadores da América. A Copa chegou em sua reta final. Os quatro times mais preparados chegaram, dessa vez os melhores passaram: Corinthians x Santos, Boca Júniors x Universidad de Chile (La U).

Boca Júniors x Universidad Católica
Na bola é empate técnico, tanto o time do Boca como o time da Universidad são páreos, ambos tem um calderão a seu favor, é verdade que a Bombonera é mais pressão que o Estádio Nacional de Santiago, mas jogar no chile, com a torcida inflamada não é fácil.

Creio que o time chileno oscila mais que o time argentino, além do fato do Boca ter um elenco mais tarimbado, mais especialista em Libertadores, como Schiavi, Santiago “El Tanque” Silva, Mouche e o Sr. Libertadores: Juan Román Riquelme, que voltou a jogar o fino da bola. Ele rege o time de Buenos Aires, e acho que ele pode fazer a diferença.

Palpite: Boca Júniors

Santos x Corinthians
Um clássico do futebol brasileiro, o embate entre os dois melhores times do país, será o encontro entre o brilhantismo técnico contra a disposição tática, raça e entrega. Um jogo sem favoritos. Eu realmente achava que o Santos não passaria pelo Vélez, pelo o que o time da baixada jogou na Argentina, o Peixe não merecia passar.

Mas futebol é futebol e o Santos cresceu aqui na Vila, impôs seu jogo e venceu o time argentino nos penaltis. Na bola, dá Santos, pois o time da baixada tem Neymar, mas clássico não tem favoritos, ainda mais em jogo válido pela Libertadores da América, onde a disposição, entrega e força de vontade tem que ficar na ponta da chuteira, e isso o Corinthians tem muito mais.

Palpite: Coluna do Meio.

Abraços.
Caio di Pacce.

Anúncios

São Paulo x Inter: Vale vaga no Mundial

Ontem, em Santiago no Chile a Universidade Católica, La U, perdeu para o time mexicano Chivas Guadalajara por 2×0 em um jogo muito disputado e deveras emocionante.

Com a classificação do Chivas, clube que em seu estatuto só permite a escalação de jogadores mexicanos, o jogo de quinta-feira entre São Paulo x Internacional vale mais do que uma vaga na final da Libertadores, vale uma vaga no Mundial Interclubes.

A participação dos clubes mexicanos sempre foram questionadas, já que a vaga dos clubes da América Central e do Norte vem da CONCAFAF, não da COMENBOL. Em 2001, os jogos entre Palmeiras e Boca Juniors ganharam tons de final de campeonato, uma vez que a Cruz Azul classificara para a finalíssima.

Bem, concordando ou não com a participação mexicana, o time do Chivas mereceu chegar aonde chegou e o São Paulo mesmo aos trancos e barrancos pode chegar ao mundial. E o colorado Celso Roth, treinador do Palmeiras em 2001, pode dessa vez aproveitar da brecha que escapou de suas mãos no clube palestrino.

Abraços.
Caio di Pacce.