Kenrrison?


Estão ventilando que o Keirrison pode voltar para o Brasil. Os ingênuos clubes que estariam disputando a contratação do atacante seriam Santos e Corinthians. Justamente times que estão bem servidos de potência ofensiva.

Confesso que tive esperança quando o garoto mato-grossense apareceu no Palestra. Nas primeiras partidas e pelo que tinha acompanhado dele no Coritiba, gostei da sua postura humilde e serena. No entanto, a Traffic e a grandeza alvi-verde o transformaram em um Thiago Neves.

No começo de 2009, o Luxa armou aquela máquina. O time voava em campo. O Diego Souza tinha tirado os chinelos e o Willians prometia. Até o garoto-ferrugem Souza apresentou grande futebol.

Mas aí, tudo ficou moderno.

A Libertadores era obsessão. Do Palmeiras, não do Keirrison. O jogador foi sendo iludido por uma somatória invejável de modernidade: bom desempenho, time grande, empresários, garotas no encalço, televisão, empresários, Luxemburgo. Foi tanta misturada que ele esqueceu de jogar futebol.

Por fim, todos conhecemos o que houve. O Obina foi chamado as pressas, mas não salvou a classificação palestrina. Keirrison foi pivô da separação definitiva Palmeiras-Luxemburgo. Logo, foi negociado. Foi para a Europa. Foi ser feliz.

Feliz? Passou um bom tempo sendo empurrado da Espanha para Portugal, de Portugal para a Itália. Surgiram boatos que jogaria pelo Barça. Da mesma maneira, desapareceram os boatos. Seu futebol foi sendo esquecido. Esquecido. Esquecido…

Até que a Fiorentina lembrou dele.  Foi recebido como a estrela nascente. Marcou alguns gols, mas em menos de 3 meses, já está sendo dispensado. Nas suas declarações, continua com a empáfia adquirida nos tempos de Palestra: Nem fico preocupado, estou de férias. Meu pensamento, por enquanto, é de retornar para a Europa.

Pois é. O futebol dele está de férias também. Desde que saiu do Coritiba.

Foto: Cabeçalho do atualizadissímo site do K11 (ou K9?): http://www.goldok9.com.br