Depois de 20 anos, os Estados Unidos se rendem!

Hoje (17), há vinte anos, Alemanha e Bolívia davam o pontapé inicial para a Copa do Mundo dos Estados Unidos. O Brasil se consagraria tetracampeão, mas o legado do futebol com os pés demoraria para se consolidar no coração dos americanos.

Gana e Estados Unidos fizeram um dos jogos mais dignos da Copa até agora. Trata-se de dois países que buscam o amadurecimento de seu futebol e Copa após Copa mostram progressos significativos, tanto no seu mercado, quanto na sua forma de jogar. É verdade que a partida de ontem por vezes foi ingenuamente violenta, mas os elementos do bom futebol estavam ali todos presentes: toque de bola, drible, defesa e velocidade. Muito diferente do que vimos no jogo das 16h entre Nigéria e Irã.

Fans gather in Grant Park to watch the US play Ghana in a World Cup soccer match in Chicago, Illinois 16 June 2014

Fãs se reúnem no Chicago Park para assistir a partida de ontem. Foto: BBC News

Obviamente, o ponto alto do certame foi o gol relâmpago de Dempsey, que nada teve de “sem querer” – foi uma jogada trabalhada, com inteligência tática, categoria e, claro, um ligeiro tempero da sorte. Porém, Gana não se desesperou, nem se acabrunhou como a Bósnia contra a Argentina. Os ganeses tiveram a estabilidade suficiente para buscar o empate e alternaram bem o protagonismos de suas estrelas: Gyan, Boateng e Essien. Estranhamente, esse dois últimos entraram no segundo tempo…fico curioso para saber qual a estratégia dos ganeses nessa primeira fase: será que suas estrelas só entrarão em jogos contra Alemanha e Portugal, somente para valorizar seus respectivos passes?

Pelo lado dos Estados Unidos, a mídia americana começa a dar um quinhão a mais de atenção para o soccer. Talvez seja a influência dos milhares de brasileiros que imigraram, mas também acredito que os investidores esportivos já não conseguem mais ignorar a mina de ouro que o esporte é. Tanto a audiência, quanto a celebração norte-americana pela vitória de ontem, são sinais inegáveis do que pode representar para as demonstrações financeiras das empresas, e para o esporte em si, a redenção yankee ao futebol com os pés. Bem vindos!

US soccer fans watching from the pier at Hermosa Beach, California 16 June 2014

Comemoração do gol de Dempsey em Hermosa Beach, Califórnia. Foto: AFP extraído da BBC News

Anúncios

Libertadores na África e Futebol de Campeão.

Nesse fim de semana aconteceram os jogos das quartas de final. Muita emoção, vibração, muitos gols, alegrias e decepções. Desses quatro jogos, fora o jogo do Brasil, que deixou a nação triste, preciso destacar duas partidas: Uruguai x Gana e Alemanha x Argentina.

Uruguai x Gana:Libertadores na África.

Um roteiro de cinema, uma batalha em solos africanos, foi o que ocorreu nessa sexta-feira na partida entre Uruguai x Gana. Foi o encontro do futebol do passado, que tentava erguer-se novamente, contra o futebol do futuro da força, do contato físico, que tentava fazer história em solo natal.

O jogo foi uma epopéia, a melhor estilo Batalha dos Aflitos, ou ao melhor estilo Taça Libertadores. Após um empate de 1×1 durante os 90 minutos. Gana pressionava o cansado time uruguaio, que perdera seu capitão e líder Lugano, por contusão. Muitas bolas na área, e o time celeste salvava. Até que no último lance do jogo, a única opção de defesa foi a mão do atacante Suarez. Penalti pra Gana.

Mas o espírito copeiro estava inspirado. A bola foi na trave, e a decisão iria para os penaltis. A partir desse momento, o fator psicológico falou mais alto e dois jogadores ganeses desperdiçaram. Coube a Loco ou Mito Abreu cavar sua cobrança e sacramentar a classificação. O maio jogo da Copa, indubitavelmente.

Alemanha x Argentina:Futebol de Campeão.

Foi uma reprise das quartas de final da Copa de 2006, a Alemanha tinha mais conjunto, a Argentina tinha mais talento. Porém a molecada alemã deu show. Logo aos 3 minutos Muller abriu o placar, logo ali a partida estava na mão da Alemanha, era só contra-atacar.

Mas o time da Argentina tinha brio, mas ele não apareceu. Schweinsteiger brilhou como um Messi, todas as bolas passavam por ele, e com uma extrema precisão, a Alemanha dominava o jogo, era compacta desde a defesa até o ataque.

E assim foi-se contruindo um baile, um tango alemão, que abria o calvário da Argentina e Maradona. O resultado do jogo foi 4×0. Klose marcou duas vezes, e está apenas a 1 gol de Ronaldo. O Mr. Copa como é chamado tem tudo para ser o maior artilheiro de todas as Copas.

Maradona ao término do jogo exemplificou o que foi partida dizendo: – Parecia que eu e os jogadores levamos um soco de Muhammad Ali.

Abraços.
Caio di Pacce.

Diário da Copa: 1º fim-de-semana

Finalmente o futebol resolveu aparecer na Copa. Após muitos espetáculos e expectativas, a bola foi tratada gentilmente. Os favoritos confirmaram seu poder de fogo e a asa-negra dos goleiros ingleses em Copas deu o ar da graça.

Argentina 1 x 0 Nigéria

Maradona tentou trazer o esquema do Barça para dentro da Argentina. No entanto, não possui um plantel do calibre do time catalão. Mesmo assim, Messi conseguiu brilhar. O abraço de urso de Samuel no zagueiro nigeriano é parte do futebol. O goleiro do time africano foi o destaque da partida ao lado da Pulga.

Coréia do Sul 2 x 0 Grécia

Mesmo que não pareça, deu a lógica. O time grego é burocrático, feio e velho. A base da seleção é de 2004 e a criatividade está para nascer. O elenco está rachado e os helênicos vão ficar pela primeira fase mesmo. Os empolgados sul-coreanos jogaram bem, mostrando disciplina tática e muita velocidade.

Inglaterra 1 x 1 Estados Unidos

Toda a análise do jogo se perde para o frango do goleiro Green. A Inglaterra tem um bom time, mas precisa mostrar mais consistência ao longo da partida. Os americanos dependem muito de Donovan, mas não devem fazer feio e se classificam para a segunda fase.

Eslovênia 1 x 0 Argélia

Não vi esse jogo, mas deu a lógica pelo fato da Eslovênia ter se classificado na Europa. Simplesmente.

Sérvia 0 x 1 Gana

O destaque foi a saída emburrada do técnico de Gana, que é sérvio. Do mais, foi um jogo feio. Gana traz os mesmos defeitos de 2006: a dificuldade em finalizar. Já a Sérvia, precisa de um atacante que tenha mais trato com a bola. Ganhou quem fez primeiro.

Alemanha 4 x 0 Austrália

Os aussies apresentaram um futebol ridículo e tacanho. Insistiam em bolas aéreas quando a média de altura dos alemães era de mais de 1,80m. Aquele Garcia é razoável, mas sozinho só vai levar o time de volta para casa. Já a Alemanha confirmou o que se esperava. O gol do brasileiro Cacau mostra a modernidade e mágica do esporte. O que Goebbels diria?

Visão Copeira:

A Copa começou a ficar legal. Mais uma vez a Inglaterra não convence, apesar do favoritismo. A surpresa do fim de semana ficou por conta da Coréia que mostrou um bom futebol. Ainda é cedo para comentar de Gana, já que Camarões estréia hoje e a Costa do Marfim amanhã.

Fotos: Getty Images

Mundial Sub-20: Brasil X Gana

BrasilCostaRicaSexta-feira acontecerá a final do Mundial Sub-20, a Copa do Mundo dos jovens jogadores, entre Brasil e Gana. Foram os dois melhores times da competição. O time africano ganha e muito pela força física e velocidade de seus jogadores e o Brasil se destaca pela habilidade peculiar dos garotos.

Muitos dos jogadores brasileiros todos conhecem bem, como Boquita do Corinthians, Giuliano do Inter, Paulo Henrique Ganso do Santos, Alan Kardec e Alex Teixeira do Vasco, Rafael Tolói do Goiás, entre outros. E pra quem acha que Gana é surpresa nessa final você está errado, é a terceira final do time africano nessa competição, perdendo pro próprio Brasil em 1993 e amargurando outro vice contra a Argentina em 2001.

O time dos hermanos é a seleção com mais títulos, são 6 ao total. O Brasil segue em segundo com 4.
Boa sorte aos garotos do Brasil! 

Abraços.
Caio di Pacce