A diferença entre Barcelona e Real Madrid

O até então invícto Real Madrid foi visitar seu rival Barcelona no Camp Nou. Mourinho jamais fora batido pelo clube blau grená. Lembrem-se do confronto homérico da Inter de Milão pela Champions League.

O Pá! Lá se vai minha invencibilidade!

Porém, o Barcelona mostrou a razão de ser maior que os merengues. Uma linda goleada de 5×0 para o time catalão. Os 98.255 espectadores perceberam que a diferença entre os dois em campo foi gritante.

Nem toda a pompa de Cristiano Ronaldo foi páreo para o esquadrão catalão. O Português foi o melhor merengue em campo, o que não quer dizer muita coisa.

O quinteto Messi, Villa, xavi, Iniesta e Pedro não deram chance ao adversário, foi um passeio em campo.

Na minha modesta opinião, a diferença do Barcelona para os demais clubes europeus hoje é a base. Simplesmente 8 dos 11 titulares em campo nasceram do terrão. Algo que é extremamente raro em clubes europeus, já que eles estão acostumados a pinçar e comprar as jóias do terceiro mundo.

Por isso que eu digo: Barcelona, más que un club.

Abraços.
Caio di Pacce.

Anúncios

Holanda de 74 – A revolução tática.

Para começar a nossa série especial de posts sobre a Copa do Mundo, escolhi a Seleção Holandesa de 1974. A Laranja Mecânica, como era conhecida em alusão ao revolucionário filme de Stanley Kubrick, revolucionou o futebol, trouxe conceitos que hoje são aplicados normalmente e encantou o mundo com o seu Futebol Total.

O selecionado holandês tinha como seu mentor Rinus Michels, que enxergava o futebol como uma batalha que precisava de muita disciplina tática para vencê-la. Criou o “Futebol Total”  que é uma táctica que consiste na exclusão de posicionamento específico para cada jogador. Todos atacam e todos defendem. Rinus conseguiu aplicar com maestria sua táctica porque foi favorecido pela elevada inteligência dos seus comandados.

O maestro desse time era Johan Cruyff, para muitos o maior depois de Pelé, o camisa 14 comandava essa equipe e com seu preciso toque de bola, dribles secos e chutes fortes e bem colocados. Jogador do Ajax, de Rinus Michel, campeão da Champions League de 1971, mudou-se ao Barcelona junto com o treinador, onde fez carreira memorável, chegando até a treinar o clube catalão nos anos 90.

URUGUAI 0 x 2 HOLANDA15 de junho, 1974 – 16:00h.

Hannover, Niedersachsenstadion. Público: 53,700 – Árbitro: Palotai (Hungria)
Gols: Rep 6′, 85′

HOLANDA: Jongbloed, Suurbier, Haan, Rijsbergen e Krol; Jansen, Van Hanegen e Neeskens: Rep, Cruyff e Resenbrink.
URUGUAI: Mazurkiewicz, Forlan, Jáuregui, Masnik e Pavoni; Montero Castillo, Espárrago e Pedro Rocha; Cubilla (Millar), Morena e Mantegazza.

As principais inovações desse time eram:

– Posicionamento variável, todos atacavam e todos defendiam

– A criação da defesa em linha, utilizando da regra do impedimento. Vejam como a defesa holandesa se comportava no minuto 0’13, ou 1’35 e como a defesa uruguais (e a dos demais países) se comportavam no minuto 5′ 30, todos os zagueiros postados atrás, enquantos os holandeses marcavam na frente, dificultando a saída de bola.

– Marcação por pressão, como todos marcavam, os uruguaios eram constantemente apertados, desde a pequena área de sua defesa, facilitando a recuperação da posse de bola para o time holandês. Também executavam a marcação em Blitz, como no minuto 2’38.

Tanto encantamento e revolução, mas o futebol prega peças, esse time se classificou para a Copa de 74 de maneira invicta, chegou à final com 5 vitórias e 1 empate, incluindo sonoros 4×0 contra a Argentina, e 2×0 contra os autais tri-campeões: O Brasil. Mas a Alemanha jogava em casa, e era um grande time.

A final dessa Copa todos sabem, foi vencida pelos donos da casa. O resultado 2×1, os Gols foram de Neeskens 2′ (pen), para a Holanda e Breitner 25′ (pen), Müller 43′ para a Alemanha Ocidental.

Uma grande injustiça, parafraseando o mestre Calazans, aquele time não levou a Copa do Mundo, azar da Copa do Mundo.

Abraços.
Caio di Pacce.

Quartas de final da Champions League

Foram definidas as quartas de finalda Champions League da temporada 2009/2010, bons jogos estão por vir e a última final pode se repitir:

Quartas de final:
Bayern de Munique  x Manchester e Lyon x Bordoux

Arsenal x Barcelona e Inter de Milão x CSKA Moscou

O jogo mais esperado dessas quartas de final será o encontro entre Arsenal e Barcelona, na repetição da final da Champions de 2006, vencido pelo time blau-grená com um gol do brasileiro Belletti.

Bayern de Munique e Manchester United também será um jogão, na repetição da final de 1999, quando o time inglês virou a partida em 3 minutos nos acréscimos do juíz.

Abraços.
Caio di Pacce.

UEFA Champions League, agora é pra valer

championsleagueHoje a tarde terminou-se a primeira rodada da UEFA Champions League, uma rodada cheia de emoções, jogos intensos e gols bonitos.

Esse torneio é envolto de muitas expectativas e questionamentos. Até aonde chegará o Real Madrid de Cristiano Ronaldo e Kaká? Ainda mais que a final esse ano será no Santiago Bernabéu. O Barcelona conseguirá manter a hegemonia e conquistará o bi-campeonato? E os times ingleses, como eles reagirão a essa nova tendência espanhola?

Enfim, o campeonato mais técnico e mais visto no mundo começou com a participação de brasileiros em 28 times dos 32 participantes. Destaque para o hat-trick do ex-são paulino Grafite, na vitória do Wolfsburg de 3×1 contra o CSKA, e a goleada do Real Madrid por 5×2 contra o Zurich, com direito a 2 gols de Cristiano Ronaldo. O jogo mais esperado da rodada, Inter de Milão x Barcelona, ficou num 0x0.

Abraços.
Caio Di Pacce