Flamengo Bi-Campeão da Copinha!

Um jogaço entre Flamengo e Bahia nessa manhã calorosa de aniversário da cidade de São Paulo. Os dois melhores times fizeram a final da maior competição de Futebol Júnior.

O time carioca começou melhor, abriu logo o placar, jogando aberto, nas costas da zaga baiana que demonstrava muita garra, mas com muito nervosismo. Porém com o aumento do calor, o time carioca deu uma cansada. Assim, a posse voltou ao tricolor de aço que empatou de penalti.

Mas foi no segundo tempo que o jogo se decidiu. O time do Bahia voltou melhor, tocando a bola e encontrando espaços na defesa rubro-negra. Mas era dia de César, um goleiro guri que estavam fechando o gol. Já para ensinar essa molecada: Time que não faz toma.

E o Bahia tomou, o bom zagueiro Dudu tirou Rafinha de campo, tomou o amarelo, Thomáz entrou em seu lugar, e na primeira bola sofreu o pênalti do mesmo Dudu, que recebeu o vermelho. Ficou para Negueba, volante rubro-negro, o peso da cobrança. O garoto não sentiu pressão nenhuma e bola na rede.

O ticolor de aço bem que tentou empatar, mas o guri César não deixou. Fechou o gol e sacramentou o Bi-campeonato para o Flamengo.

Abraços.
Caio Di Pacce.

Gaúcho se aposenta

Ronaldinho Gaúcho é o novo jogador do Flamengo. O contrato envolve um monte de cifra, cláusulas de propaganda e facilidades para o meia. O atacante italiano Vieri está prestes a fechar com o Boavista carioca. As cifras são confortáveis e as regalias, certamente, serão inúmeras.

Esperamos um campeonato carioca avassalador então. Grandes nomes disputando matches em uma terra festiva e acolhedora. Aparentemente, os jogadores se destacarão mais no Carnaval desse ano do que no carioca que logo se inicia.

Gaúcho trocou a disputa da Libertadores pela disputa de um campeonato estadual. Prestígio para os estaduais? Obviamente que não. Mas isso tem pouco haver com as competições em si. A escolha de Gaúcho sinaliza que ele já se aposentou. Como jogador, já está satisfeito com suas conquistas.

Ronaldo Nazário ao chegar ao Corinthians ainda tinha que provar alguma coisa. Para si mesmo, claro. Queria mostrar ao mundo que daria a volta por cima mais uma vez. E assim o fez. Agora, Gaúcho, não tem tanto interesse assim. No Milan, quando queria jogar, jogava. Mas a maior parte do tempo, preferia descansar no banco de reservas.

A vinda do craque para o Flamengo tem haver com dinheiro? Muito pouco. Gaúcho trará mais rendimentos ao rubro-negro do que ao seu próprio bolso. Claro, em termos relativos. No entanto, o time da Gávea fará a manutenção em sua torcida. Mantendo sua atratividade para marketeiros e patrocinadores.

Ronaldinho, bem vindo a sua aposentadoria!

 

Gaúcho estréia no Flamengo. Pode ser assim.

E continua tudo errado…

O goleiro Bruno é o típico estereótipo do cidadão brasileiro. Esmagado pelos vieses sociais, quando garoto buscou refúgio no futebol.  Nas quatro linhas também encontrou matéria prima para rebocar seus sonhos. Ascendeu rápido, ultrapassou expectativas e aos 25 anos já tinha um horizonte financeiro confortável.

Foi para um clube grande, mas um clube sombrio. O Flamengo é a dispensa mais bem abastecida dos vícios da nossa sociedade tupiniquim. De clientelismo a tráfico de drogas, vez ou outra pode se ver o nome rubronegro misturado em páginas além do caderno de esportes.

Pensando bem, o Flamengo também é o estereótipo da instituição brasileira:  um leviatã corrompido e lento.

Eis que agora o advogado que “defendia” o goleiro foi afastado do caso. Não por incompetência ou estratégia legal, mas simplesmente por se entitular o próprio demônio e ser viciado em crack.

Sé vida loka jão, é né fácil não...

Normalmente, pessoas viciadas em crack precisam de ajuda. São legalmente tidas como incapazes, visto que não estão no perfeito juízo mental. Além disso, sofrem de um problema de saúde que é a dependência química. Ou seja, devem ser acolhidas pelos colchões de assistência social e recuperadas.

A presença do advogado Ércio Quaresma reforça o desfile de clichês no caso Bruno. Suas bravatas desmedidas certamente permearão o folclore criminalístico. De fato, ainda não se tem o corpo da vítima. No entanto, ficar desviando o foco, dizendo que Eliza Samúdio estava nas vitrines de Amsterdã não é lá uma atitude muito profissional.

A OAB de Minas vai afastar Quaresma. A OAB não é tanto como o Flamengo, mas ao admitir um tipo como esse em seus quadros, mostra lá suas arestas institucionalmente rubro-negras. Mas isso tudo é o de menos.

Para o goleiro Bruno e seu amante Maka, tudo continua dando errado. Não seria hora de abrir a boca? Mesmo?

 

Noite de empates

Essa quarta-feira a bola rolou em três estádios, na Boca do Jacaré em Minas Gerais para Galo x Palmeiras, no Serra Dourada para Goiás x Avaí, jogos válidos pela Sulamericana e no Engenhão para Flamengo x Corinthians, o clássico das multidões pelo Brasileirão. Os três jogos saíram empatados.

Atlético MG x Palmeiras
O Palmeiras entrou em campo com Valdívia, que mesmo machucado, jogando apenas 20 minutos, conseguia abrir espaços na marcação mineira. O Galo também sofreu a baixa de Daniel Carvalho, o jogador que abria espaços na marcação palestrina. Sem seus meias de ligação, o jogo ficou mais feio.

No segundo tempo Kléber abriu o placar, o Palmeiras teve um pênalti bem e mal anulado pelo bandeira Érico Bandeira: Lincoln estava impedido, o bandeira não viu, não assinalou a marcação, o juíz deu o pênalti. Kléber estava com a bola na marca, o bandeira sai de seu posicionamento e avisa que havia impedimento. Ou seja, sopraram pra ele essa marcação.

Após isso, no gol atleticano, o árbitro ainda marcou um pênalti inexistente em Obina, que como havia prometido, marcou um gol contra o Palmeiras.

Flamengo x Corinthians
O RUbro-negro entrou aberto em campo, com três atacantes e errando muitos passes. O Corinthians, com seu meio campo forte de muita marcação, veio fechado esperando o contra-ataque. Ou seja, o jogo era um prato cheio para o time centenário.

Ronaldo abriu o placar ainda no primeiro tempo. Na segunda etapa o Flamengo melhorou e o Timão oscilou. Com isso, Diogo, menino criado no quintal da Lusa empatou. Júlio César fez boas defesas, Lomba também, mas o empate foi um resultado justo.

Goiás x Avaí
O Serra Dourada viu mais um jogão de bola do esmeraldino em jogo válido pela Sulamericana. O time da casa abriu o placar com o He-man Rafael Moura. O time do Avaí, que também vem surpreendendo nessa competição empatou e virou o jogo em Goiás, com gols de Davi e Marcelinho.

Quando tudo parecia perdido, o time de Floripa estava com um resultado muito bom em Goiás, Rafael Moura outra vez bancou o herói. E marcou mais uma vez nos acréscimos, aos 48 minutos do segundo tempo, empatou o jogo e colocou o Goiás novamente na disputa da vaga.

Abraços.
Caio di Pacce.

C.R. Flamengo: A casa da mãe Joana.


O Clube de Regatas Flamengo é o time brasileiro que tem maior potencial para crescer, é a maior torcida do país, um clube com tanta história, com tantos títulos, que se apequena pelos seus problemas administrativos.

A cartolagem rubro-negra é de “primeira”, a vida política dentro do clube é uma das mais difíceis de se administrar. É um clube que vive com planejamento escasso, sempre com medidas estranhas e vexatórias.

E quando tenta-se fazer uma administração mais séria, a oposição barra, as portas se fecham e o clube não anda, mesmo quando esses novos cartolas são grandes ídolos do Flamengo. Primeiro foi Júnior, que logo saiu do cargo. E agora, o maior de todos, o 10 do Maracanã, nem Zico aguentou a cartolagem rubro-negra. Uma derrota do futebol.

Meu grande amigo Lucas Amaral me disse ao término do Brasileirão do ano passado: “- O título do Flamengo é um atraso para o futebol brasileiro”. Muito desse comentário tem de mágoa de um palmeirense, que viu o título escapar pelos dedos, mas também tem muito de verdade.

É bom lembrar que o melhor jogador do BR09 foi o Petkovic, ele foi o grande responsável pela arrancada do time, e ele só voltou a jogar pelo flamengo, pois o clube lhe devia dinheiro. Uma briga na justiça colocou ele de volta ao rubro-negro.

Aquele time era o time que não treinava, que os jogadores eram mimados, baladeiros, mas que dentro de campo resolviam. Andrade foi o dominador dos egos, o boleiro que entendia os boleiros mais novos, e deu certo. Parabéns! Mas no primeiro semestre de 2010, quando a fama subiu a cabeça, todos viram no que deu.

O Clube saiu até nas páginas policiais.

Agora veremos como será Com Luxa.

Abraços.
Caio di Pacce.

Obs: Título do texto inspirado na coluna de Antero Grecco em O Estado de São Paulo (Rua Turiaçu, 1284: A Casa da Mãe Joana).

Paulistas x Rubro-Negros.

Ontem o trio de ferro de São Paulo enfrentou times rubro-negros pelo Brasileirão. O alvi-negro da Zona Leste enfrentou o Atlético-PR na Arena da Baixada, o alvi-verde da Zona Oeste enfrentou o Vitória no Barradão e o tricolor do Morumbi enfrentou, em casa, o Flamengo.

O Corinthians foi ao Paraná com a missão de conseguir mais 3 pontos, aumentar seu rendimento fora de casa e não deixar o Fluminense escapar (uma vez que o tricolor carioca fez 3×1 no Ceará). Ronaldo estava em campo, fez um belo primeiro tempo, participou das principais jogadas e fez o gol de penalti que abriu o placar.

No segundo tempo o time da casa melhorou, pressionou o Corinthians, que recuou. O Atlético atacou, atacou, até que conseguiu empatar, em uma belíssima cobrança de penalti de Bruno Mineiro, ao melhor estilo Loco Abreu.

O Palmeiras foi à Bahia com a missão de vencer, por uma pedra na derrota vexaminosa contra o Cruzeiro no Pacaembu. E a coisa logo ficou complicada, quando o time da casa abriu o placar. Daí o jogo ficou feio, o Palmeiras não tinha saída de bola, e, sem criatividade, não conseguia criar.

No segundo tempo a coisa melhorou, as entradas de Valdívia e Tadeu melhoraram o time ofensivamente, Mago se inspirou um pouco, conseguiu arranjar uns buracos na muralha baiana, mas foi Edinho que disparou e Tadeu que completou na falha de Viáfara: 1×1 placar final.

O destaque mesmo ficou para o São Paulo, que aos gritos de “O Campeão voltou”, venceu o ameaçado Flamengo em casa, por 2×0 com show da dupla Marlos e Marcelinho. O jogo contou com a re-estréia de Ilsinho, que abusou das suas descidas pelas pontas, desconcertando a defesa carioca.

O Flamengo está mesmo numa draga, nem a boa dupla de ataque “D2” Deivid e Diogo conseguiu marcar. Esse último conseguiu ser expulso ainda no primeiro tempo. O ataque do Flamengo não marca um gol faz 8 jogos. 

Abraços.
Caio di Pacce.

FOTO: Lancenet!

A volta do Brasileirão.

Após um mês de Copa do Mundo, com muitas alegrias e tristezas para as diferentes seleções do munco, chega a volta do nosso campeonato nacional: O Brasileirão.

Se antes da Copa o Brasileiro tinha cara de sono, agora ele está com força total. Vários clubes se reforçaram, até se reformularam, como o caso do Palmeiras, para fazer um belo segundo semestre.

O time que mais perdeu nessa parada foi o Clube de Regatas Flamengo. O Rubro-Negro além de ter perdido sua dupla de ataque, Adriano e Vágner Love, perdeu também o goleiro, que está com sua situação complicada com a Polícia.

Hoje já tem jogo importante, como o encontro entre o líder e vice-lider. Corinthians x Ceará lá no Castelão. O time paulista joga com alguns desfalques, entre eles Ronaldo, que desde a eliminação da Libertadores não entrou em campo.

Amanhã teremos o embate entre o  reformulado Palmeiras, ainda em construção, contra o Santos, sem Ganso, André e Robinho. Um clássico regional que promete. O time do Palmeiras precisa mostrar serviço para o novo treinador Scolari, e o time do Santos precisa se preparar para as finais da Copa do Brasil.

Abraços.
Caio di Pacce.