Copeiros – Vlog – 2015.02 – Times Cariocas

Abraços,
Caio Di Pacce

C. R. Flamengo: A casa da mãe Patrícia

Trio Ternura

Ontem a gávea foi palco de uma tarde turbulenta no Clube de Regatas Flamengo. No dia seguinte da classificação para a fase de grupos da Taça Libertadores, Luxemburgo deu um treino pela manhã, foi à sala da presidência, e rescindiu seu contrato com o clube.

Mais tarde, a Presidente Patrícia eu uma coletiva, comunicando a imprensa do ocorrido, e além disso, demitindo praticamente toda a cúpula do departamento de técnico de futebol do clube. “Sai o técnico, Isaías, e talvez o (Antônio) Mello e o Júnior (Lopes), mas ainda não conversei com eles. A tendência é essa. Quem dirige o time amanhã (sexta-feira, contra o Olaria) é o Jaime (de Almeida).” 

A multa rescisória do ex-treinador do Flamengo chega a cifra de R$ 4 Milhões. “A questão da multa (rescisória do contrato de Vanderlei Luxemburgo) será decidida a partir de amanhã (sexta-feira) com os advogados. Existe a multa, é alta, seria bom se pudéssemos investir em pagamento de dívidas, investir no elenco. Mas está no contrato. Cumpra-se”. Ou seja, mais dívida para o Flamengo enrolar.

Durante a coletiva de imprensa, o site oficial do Bahia anuncia a saída de Joel Santana do tricolor.

Um dos principais motivos, da saída do treinador foi o seu mal relacionamento com Ronaldinho. Era sabido que a relação entre os dois estava gasta, a própria presidente assumiu que o time já não jogava com alegria e o clima era muito tenso.

Após Patricia Amorim terminar de comunicar os ocorridos, o diretor de futebol do Flamengo, Luiz Augusto Veloso, colocou o cargo à disposição.

Em meio a toda essa bagunça, Papai Joel pode estar retornando ao clube que ele se identifica muito. Será possivelmente um dos maiores desafios do treinador, dar uma order na casa da mãe Patrícia, que nem ela consegue ajustar.

Abraços.
Caio Di Pacce.

Grêmio 4×2, a volta do traíra

Pilantra

Nesse domingo, o Corinthians voltou a liderança, com uma vitória de superação contra o Avaí, somado a um tropeço do Vasco em casa contra um São Paulo cheio de desfalques. Mas o jogo da rodada foi Grêmio x Flamengo, no estádio Olímpico em Porto Alegre. Toda torcida gremista estava esperando a volta de Ronaldo de Assis Moreira para enfrentá-lo.

O próprio locutor do Estádio, ao dar a escalação do Flamengo, disse: 10 – Pilantra, ao invés de 10 – Ronaldo. A raiva era muito grande. Ficou claro durante os 90 minutos de partida.

Porém o Flamengo começou melhor, e abriu 2×0 com Thiago Neves e Deivid. Mas quando toda aquela pressão contra Ronaldo e ao Flamengo e todo o apoio ao time gremista parecia não funcionar, os donos da casa mostraram que jogar no Olímpico é diferente.

O Grêmio fez com André Lima duas vezes, Douglas e Miralles, virou de 2×0 para 4×2. E mostrou a razão do Grêmio ser apelidado de imortal. A torcida precisava dessa vitória, o time gremista pode não conquistar nada nessa temporada, pode perder o GreNal no Olímpico na última rodada, mas precisava vencer o Flamengo.

A escolha de Ronaldo para o Flamengo,  e o leilão de Assis com o jogador, magoou metade do Rio Grande do Sul, que de vez assumiu o ódio para com esses membros da família Assis Moreira. Essa virada ficará na memória dos gremistas por um bom tempo.

Abraços.
Caio Di Pacce.

Isso é Corinthians.

Superação, entrega, raça e disposição. Isso é que todo corinthiano espera de seus jogadores em campo. Ontem, no clássico das multidões, o time alvi-negro voltou a apresentar essas características num Pacaembu abarrotado.

O Flamengo começou melhor e abriu o placar. Mas pensou que o jogo estava liquidado, esqueceu que o time do Corinthians é o time da vitória sofrida, suada e brigada. Erro letal.

No segundo tempo, o alvi-negro de Pq. São Jorge era só ataque, a entrada de Williams no lugar de Jorge Henrique e um aumento de produtividade do meia Alex mataram a defesa Flamenguista, que vivia de defesas de Felipe.

Até que Gustavo deu um soco em Liedson, vacilo do zagueiro, não é bom mexer com quem tá quieto, ainda mais quando esse alguém é o Levezinho. O camisa 9 corinthiano acordou, e nas duas chances que teve virou o jogo, sendo que o segundo gol saiu aos 43 do segundo tempo.

Uma vitória típica de Corinthians, que deu novo ânimo ao líder do Braileirão e encheu de esperanças para a torcida.

Abraços.
Caio di Pacce.

Olha o Flamengo aí….

O time rubro-negro foi ontem à Ilha do Jacaré enfrentar o bom time do Cruzeiro, do glorioso Joel Santana, e se impôs em campo, parecia jogar em pleno Maracanã, ou no Engenhão. O time do Cruzeiro pouco viu a bola e 1×0 foi pouco para o time carioca.

Em tempos de uma oscilação corinthiana, o Flamengo é o único invicto do Brasileirão e começa a encostar na liderança. O time do Corinthians precisa se preocupar, mesmo com um jogo a menos, uma vez que o desempenho do Corinthians não é o mesmo do começo do campeonato, mesmo com a vitória sobre o América-MG.

O triunvirato carioca, Léo Moura, Thiago Neves e Ronaldinho Gaúcho vem jogando bem. Esse é o esqueleto do time do Rio, a bola sempre passa por eles, ainda falta um 9, já que o David não é o mesmo dos tempos de Cruzeiro, Corinthians e Santos, mas mesmo assim o time vem crescendo na competição e tem tudo para brigar pelo Heptacampeonato.

Abraços.
Caio di Pacce.

Kléber, o capitão.


Até minutos antes da partida, ninguém saberia se o Kléber jogaria contra o Flamengo, se teria um fim a novela que envolvia o jogador, a diretoria do Palmeiras e o rubro-negro. Extremamente oportunista, Patrícia Amorim, no dia do jogo, levou uma nova proposta para o jogador, mas o camisa 30 veio a campo, completou a 7a partida e vai ficar no alvi-verde.

Essa novela, que começou após a goleada contra o Avaí, no jogo em que Marcos mostrou ser diferente dos demais, teve vários capítulos, o jogador e seu agente erraram, a diretoria errou também. Todo e qualquer assunto interno do Palmeiras vira uma novela e um drama.

O que realmente aconteceu, eu não sei, mas o que eu vi ontem, no Estádio do Pacaembú, mostrou mais uma vez que o Kléber é muito capitão. Ele não fez gol, já que o jogo ficou 0x0, não fez uma partida brilhante, mas o camisa 30 mostrou toda garra e vontade que o fizeram ser chamado de gladiador.

Batalhou, lutou, driblou, chutou, deu passe, brigou com os companheiros, reclamou com o juíz, deu carrinho por trás que salvou um contra-ataque perigoso, roubou bola no chão e foi protagonista no principal lance do segundo tempo:

O time do Flamengo, já estava sonhando com o empate. Toda entrada do Palmeiras era aquela cera, Ronaldinho só sabia reclamar (pois jogar futebol ele não fez, Cicinho e depois Márcio Araújo o pararam com facilidade), cheio de marra. Em um lance desses, na frente da área do Flamengo, o juíz declarou bola ao ar. Eis que Kléber saiu jogando rápido e quase abriu o placar.

Pronto, confusão no gramado. A torcida saiu do corpo, o jogador mostrou a raça que todos estão acostumados ver. O Kléber voltou. E ele mostrou que merece vestir a faixa de capitão.

Abraços.
Caio di Pacce.

Top 10: Gols mais marcantes do futebol brasileiro (2000-2010)

Eu fiquei montando essa semana um TOP 10 gols brasileiros dessa última década (2000-2010), influenciado pelo post do Flaco Marque no Papo de Homem, Summer Tapes. Bem, depois de muito pensar, resolvi mesclar plasticidade com drama e emoção, acho que essa é a combinação perfeita para um golaço ser eternizado. Segue a Lista, lembrando que a ordem dos vídeos não significa um ranking:

01 Diego Souza – Palmeiras x Atlético-MG – 2009

02 Ricardinho/Marcelinho – Paulistão – 2001

03 Alex, O Chapeleiro do Morumbi – 2000

04 João Paulo – Juventus x Linense – Copa FPF – 2007

05 Nilmar – Inter x Corinthians – 2009

06 Anderson – Grêmio – Batalha dos Aflitos – 2005

07 Petkovic – Flamengo x Vasco – Carioca

08 Ronaldo – Santos x Corinthians – Final paulista 2009

09 Washington – Fluminense x SPFC – Libertadores – 2008

10 Ronaldo – Corinthians x Palmeiras – 2009

Sei que essas listas sempre deixam aquele golaço de fora, mas esses foram os que eu selecionei.

Abraços
Caio di Pacce.