Não tem mais bobo no futebol

Si, se puede Ticos!

Se há um dos jargões que essa Copa do Mundo esta corroborando, ele é o: “Não tem mais bobo no futebol“.  As grandes potências do futebol estão sofrendo pra classificar, ou até mesmo voltando mais cedo pra casa, diante de seleções menores, ou de menor expressão.

O maior exemplo é a classificação em primeiro lugar da Costa Rica em pleno grupo da morte. Os “Ticos” saírem invictos, passando por 3 campeões do mundo: Uruguai, Inglaterra e Itália. Venceu também a Campeã européia de 2004 a não tão importante Grécia e se classificou pela primeira vez na história para as Quartas-de-Finais.

Outra grande surpresa é a Argélia, o esforçado time africano ganhou a vaga da Rússia de Fábio Capello, e deu um trabalho enorme para a gigante e simpática Alemanha, caiu na prorrogação. Até mesmo o Irã que quase arrancou um empate da Argentina de Messi.

E o que falar da Colômbia, time com o artilheiro da Copa, que vem demonstrando um futebol alegre e preciso, com 4 vitórias e melhor campanha da competição. É verdade que o único time grande que a Colômbia enfrentou foi um Uruguai sem Suarez e desmoralizado. Mas vem jogando muito. Ou um Chile que tirou a atual campeã do mundo Espanha da Copa.

O principal fator disso é o velho papo de Globalização do futebol, os principais jogadores dessas seleções estão jogando nas principais ligas européias, mesmo que em times secundários. Isso faz com que eles ganhem experiência e cancha, ou seja, eles estão acostumados a enfrentar os principais jogadores das principais ligas, com isso o gap fica menor, e os jogos tornam-se mais disputados, mais competitivos.

Não há mais bobos em Copa do Mundo, pelo menos na Copa das Copas.

Abraços.
Caio di Pacce.

Anúncios

Era quem faltava!

A Copa do Mundo de Futebol da África do Sul, que ocorrerá em 2010, acaba de ganhar mais um atrativo: contará com todos os campeões mundiais da história. Isso por que após uma partida eletrizante, a seleção do Uruguai garantiu sua vaga para o torneio no continente negro.

Frente a uma inusitada Costa Rica, os charruas se complicaram. “La tricolor” de René Simões, apesar do baixo calão técnico, se insinuou durante todo o primeiro tempo. O Uruguai, devido a sua má organização tática, fornecia contra-ataques perigosos para os costarriquenhos. O primeiro tempo acabou de maneira tensa.

No entanto, por volta dos 20 minutos do segundo tempo, Loco Abreu levou a loucura o Centenário, conferindo de cabeça.

Cinco minutos depois, o goleiro charrua Carrante resolveu deixar o jogo mais emocionante e falhou feio: empate da Costa Rica.

O que se seguiu deixou o jogo ainda mais saboroso. Uruguaios infiltrados como imprensa dentro do campo, começaram a provocar o banco costarriquenho. Os visitantes responderam e houve invasão de campo. A polícia teve de ser acionada.

O jogo ficou parado por cerca de cinco minutos. Muito bate boca, a la Libertadores. Assim, a partida recomeça e o que se vê não pode ser chamado de futebol. Muitos carrinhos, dividas duras e uma ausência completa de esquemas táticos. Lugano, portador genuíno da catimba sul-americana, se jogava insistentemente na área por um pênalti que definisse o jogo.

Pela Costa Rica, o único que parecia saber do que se tratava o certame era René Simões. Roy Miller e Brian Ruiz estavam completamente perdidos, imersos na atmosfera oriental. O razoável Bolaños não conseguiu ajudar seu país a se classificar para o Mundial.

A força do futebol sul-americano mais uma vez prevaleceu: Uruguai, última seleção a se classificar para a Copa de 2010.

O Uruguai se complicou

FBL-WC2010-USA-CRCOntem, a inusitada covardia uruguaia pode ter efeitos mais drásticos. A Costa Rica, usando da mesma displicência, deixou escapar a vaga direta para o Mundial, cedendo um empate para o já classificado Estados Unidos.

Não é que o futebol costarriquenho desperte calafrios nos oponentes. Com o perdão do exagero, recentemente nos acostumamos a ver nossos amigos caribenhos pelas Copas – inclusive enfrentando o Brasil. Foi assim em 1990 e em 2002.

No dia 14 de novembro “los ticos” e “los charruas” medirão forças para a última vaga. Nossos vizinhos enfrentarão um time sedento e frustrado, que viu a classificação escapar nos últimos segundos de uma partida praticamente ganha.

Segundo o diário “La Nacion”;

La Selecion terminó en el suelo, entre lágrimas de frustración, tras el doloroso empate 2-2 que deja a la Tricolor en una sala de purgatorio que se llama repechaje ante Uruguay.

Cabe agora ao Uruguai se reorganizar e esfriar a cabeça. Se apresentar o futebol horrendo de ontem, certamente, o Brasil corre o risco de repetir os duelos ocorridos na Itália e no Japão.

PS: E não é que a Honduras vai pra Copa?