Com a mão na taça

No lindo estádio de gramado sintético de Guadalajara, o Internacional enfrentou o Chivas pela primeira mão da final da Libertadores da América. E o bi-campeonato está cada vez mais próximo.

O time colorado, que jogou de branco, veio a campo com a missão de ter a posse da bola, de rodar o jogo e esperar a hora certa para atacar os donos da casa. Alecsandro comandava o ataque, o meio campo com os argentinos Guiñazu e D´Alessandro rodavam o jogo e colocavam os mexicanos na roda.

Mas o time mexicano não chegou na final da Libertadores de graça. Após Alecsandro se machucar e entrar Everton no seu lugar, o time da casa abriu o placar, em mais uma pataquada de Renan. O ponto fraco do Internacional nos últimos jogos.

Celso Roth mexeu bem no segundo tempo e o Inter voltou a pressionar, com Rafael Sobis e o talismã Giuliano o time colorado pressionava. Talismã esse que igualou o marcador de cabeça, e botando a pressão de volta para os donos da casa.

Então os mexicanos quiseram vencer a qualquer custo, e se descuidaram na marcação. Vacilo defensivo contra o Inter é fatal. A virada veio com Bolívar, também de cabeça.

A redenção do Internacional e de Celso Roth está cada vez mais próxima, nada ainda está ganho, mas uma mão já está na taça.

Enquanto isso, no bairro de Azzena, o único consolo gremista é ver Portaluppi sendo apresentado hoje no Olímpico.

Abraços.
Caio di Pacce.

FOTO: Lancenet!

São Paulo x Inter: Vale vaga no Mundial

Ontem, em Santiago no Chile a Universidade Católica, La U, perdeu para o time mexicano Chivas Guadalajara por 2×0 em um jogo muito disputado e deveras emocionante.

Com a classificação do Chivas, clube que em seu estatuto só permite a escalação de jogadores mexicanos, o jogo de quinta-feira entre São Paulo x Internacional vale mais do que uma vaga na final da Libertadores, vale uma vaga no Mundial Interclubes.

A participação dos clubes mexicanos sempre foram questionadas, já que a vaga dos clubes da América Central e do Norte vem da CONCAFAF, não da COMENBOL. Em 2001, os jogos entre Palmeiras e Boca Juniors ganharam tons de final de campeonato, uma vez que a Cruz Azul classificara para a finalíssima.

Bem, concordando ou não com a participação mexicana, o time do Chivas mereceu chegar aonde chegou e o São Paulo mesmo aos trancos e barrancos pode chegar ao mundial. E o colorado Celso Roth, treinador do Palmeiras em 2001, pode dessa vez aproveitar da brecha que escapou de suas mãos no clube palestrino.

Abraços.
Caio di Pacce.

Maradó 10

091027_cerveza_maradona_3Ocorreu ontem no México, a apresentação da cerveja que homenageia o maior ídolo argentino de todos os tempos. A empresa Cerveceria Revolucion anunciou seu novo produto, a cerveja “Maradó 10”.

A companhia possui em seu portfolio outras cervejas como a Che Guevara, Zapata e a Maquiavelo – Por que el fin justifica los medios/ Creamos una bebida de principes.

O produto ainda não foi lançado oficialmente, mas cerca de 200 caixas da cerveja foram distribuídas no Festival da Cerveja de Guadalajara nesse último fim de semana. A marca ainda aguarda a autorização do próprio pibe para empezar la produccion.

A cervejaria mexicana possui um forte trabalho social, buscando o desenvolvimento do futebol em comunidades rurais do México. No entanto, disse que parte dos recursos também serão destinados para as torcidas organizadas do Chivas e do Atlas, ambos de Guadalajara.

Segundo De Alba, diretor da companhia, essa prática é para gerar identificação dos torcedores com o produto – para que eles considerem a cerveja como propriedade deles também.

Certamente é uma atitude perigosa envolver uma marca com torcidas organizadas. São grupos muito instáveis e bem próximos de atividades ilegais, o que pode prejudicar os negócios da empresa. Mostrando mais uma vez que, ao se misturar esporte e negócios, os termos devem ser muito cautelosamente estudados.diamante-negro

Maradona não é o primeiro jogador a ser homenageado com algum produto. Na década de 1930, Leônidas da Silva teve seu apelido transformado em chocolate pela empresa Lacta, dando origem ao “Diamante Negro”.

Até Dunga já teve seu nome em um produto. No final dos anos 80, a empresa Motorádio produzia um rádio-portátil que levava seu nome.

Dunga II Motoradio

Fontes: http://www.timesoftheinternet.com/espanol/64966.html#at

ocruzadomissionario.blogspot.com