O fim do “Pré-Brasileirão” 2014

- Será que vamos ser Bi?

– Será que vamos ser Bi?

Com o término da rodada de hoje, o “Pré-Brasileirão” chega ao fim e se inicia a tão desejada pausa para a Copa do Mundo. E, vejo esse início do campeonato regional sem muitas surpresas. Os times que estão na frente são os meus favoritos a conquistar o título e os times que estão lá embaixo, são os meus favoritos para disputar a série B.

Dos quatro primeiros, destaco o Cruzeiro como o mais forte, o mais conciso e o com o elenco mais igual dentre as 20 equipes que disputam o campeonato Nacional. O segredo dos pontos corridos é manter o mesmo nível e padrão de jogo, haja o que “hajar” (hehehe). Ou seja, se você perder seus principais jogadores, você tem que ter um elenco que supra essas necessidades. E eu vejo o Cruzeiro o mais preparado para enfrentar a maratona do segundo semestre.

Um que pode chegar é o tricolor paulista, o SPFC está se reforçando muito bem, principalmente na frente. Possui um ataque muito forte e veloz e com peças de reposição de altíssima qualidade, além de ter um treinador mais do que calejado nesse tipo de competição. Se vier um zagueiro, como Lugano, o time tem tudo para brigar com o Cruzeiro pelo caneco.

O Corinthians, com a chegada de Elias e Lodeiro pode brigar, mas vejo o elenco corinthiano um degrau abaixo, uma vez que seu treinador não tem o time na mão e não consegue dar um padrão tático decente para a equipe. Além disso, time campeão tem que vencer em casa, e na arena, o time alvi-negro ainda não desencantou.

Bem, falaremos de Brasileirão agora só em Agosto. Que venha a Copa do Mundo, ou não.

Abraços.
Caio Di Pacce.

Anúncios

Fluminense é o Campeão Brasileiro de 2012

Sim, o tricolor carioca foi campeão mais uma vez do Brasileirão, e dessa vez, mais do que nunca, um título muito merecido. Um elenco extremamente competente, com jogadores de nível de seleção brasileira, treinados por um excelente treinador. Hoje, em Presidente Prudente o tricolor das laranjeiras bateu o rebaixado Palmeiras por 3×2, numa partida muito brigada e corrida, e garantiu a taça com três rodadas de antecedência.

O Fluminense, desde que assumiu a liderança, não viu seu título ameaçado em nenhum momento. Time que tem o melhor goleiro do Brasil, que tem o melhor centro-avante, o mais matador, possui um elenco de altíssimo nível, e que vem para essa Libertadores mais forte do que nunca.

O símbolo dessa equipe é o Capitão Fred, artilheiro da competição com 18 gols, fez 2 na vitória decisiva. Esse atacante mineiro, lidera a equipe, dentro e fora de campo, sabe finalizar como poucos e não treme em momentos decisivos. Essa é a cara do campeão brasileiro.

Parabéns ao Fluminense, mais uma vez campeão.

Abraços.
Caio di Pacce.

Jogaço em Minas Gerais

O Estádio Independência em Minas Gerais foi palco da partida da rodada, Atlético MG x Fluminense, os dois times brigando pela ponta da tabela. Os dois melhores times desse campeonato brasileiro, o líder contra o vice-líder, praticamente uma final antecipada.

E o jogo foi muito pegado, o Atlético MG chegava sempre com perigo, nos pés de Ronaldinho e Bernard. O Fluminense jogava mais fechado, porém sempre com perigo, Fred e Wellington Nem sempre eram perigosos.

Até que Ronaldinho foi bater uma falta pela esquerda, colocou na rede, mas o juíz anulou, um jogador do Atlético MG, teria deslocado a barreira. Isso é comum, eu lembro de um São Paulo e Santos, Carlos Alberto, no SPFC ainda, fez exatamente igual ao atacante atleticano e o juíz validou o gol. Mas contra o Fluminense, é falta.

Na verdade o Juíz do jogo quis apagar o incrível jogo de futebol, e manchar uma partida muito intensa, brigada e de ótima qualidade técnica. O Fluminense abriu o placar com Wellington Nem, aos 10 minutos, num momento em que o Galo mandava no jogo.

A pressão do Atlético aumentou, mas a bola não queria entrar, estava com cara daquele jogo de sorte de campeão do Fluminense, até que Jô igualou o marcador, aos 23 min da segunda etapa. Aos 36, o mesmo Jô virou a partida. A torcida explodiu dentro do Independência.

Porém, o Fluminense não é líder a toa, e Fred é decisivo. Ele teve uma chance, e guardou, aos 40 do segundo tempo, quando já diziam que o jogo era do Galo. O empate que praticamente garantia o título para o Tricolor carioca.

Mas o Galo, é forte e é vingador. Leonardo Silva, o zagueiro artilheiro, colocou a cabeça na bola aos 47 e garantiu a vitória. O juizão ainda quis complicar ainda mais, quando Fred deu uma cotovelada em Júnior Cesar que foi chutar a bola, impedindo o re-início do jogo. O lateral tomou o amarelo, e Fred saiu ileso.

Mas o futebol venceu, fomos presenteados com uma partidaça de futebol, craques, como Ronaldinho, Deco, Fred, Bernard, Wellington Nem, etc, com viradas no placar e um campeonato ainda aberto, com muitas rodadas pela frente para se decidir.

Abraços.
Caio di Pacce.

Palmeiras = Libertadores + Série B

A vida do torcedor palmeirense variou demai no ano de 2012, após um primeiro semestre perfeito, celebrado desde a festa para São Marcos até com o bi-campeonato da Copa do Brasil, após partidas excepcionais, principalmente, contra Grêmio e Coritiba. Felipão voltou a sorrir, a torcida fez uma festa linda nas ruas de São Paulo, voltamos a celebrar como há tempos não fazíamos.

Mas, veio o segundo semestre. Para que o time vencesse a Copa do Brasil, abrimos mão do Brasileirão. Abrimos mão demais, o time conquistou 27 pontos em 29 rodadas, menos de 1 ponto por rodada em média. E, depois da derrota em Araraquara contra o Coritiba, o caixão foi enterrado. Sim, sim, ainda tem mais rodadas, mas o time está todo desfalcado e sentido.

Só o Palmeiras é capaz de dar tanta alegria e tristeza para o seu torcedor em tão pouco tempo. Eu vou lembrar de 2012 como o ano da despedida de São Marcos, e vou lembrar daquele 12/07 onde celebrei, gritei, chorei, cantei. Daquele dia que saí da Pompéia com os amigos, cantando no carro e fui para a Paulista celebrar a taça conquistada.

Que venha a Libertadores e a série B. Amarei meu clube do mesmo jeito, em ambas as competições.

Abraços.
Caio di Pacce.

Kleina, agora é com você.

O Palmeiras acaba de anunciar a contratação de Gilson Kleina, ex-treinador da Ponte Preta para assumir a vaga deixada por Luís Felipe Scolari. Meta difícil, corajosa e complicada ele assumiu. Substituir o tão amado e carismático treinador de Caxias não é para qualquer um.

Mas Kleina é um excelente nome, é o mais promissor dentre os treinadores da série A, junto com Jorginho ele está como uma excelente aposta. O curitibano de 44 anos começou sua carreira como assistente de Abel Braga, no Coritiba, Olimpique de Marseille, Atlético-MG e Botafogo, depois rodou por alguns clubes menores até chegar a Ponte Preta.

Ele ficou conhecido no cenário nacional, quando recusou a proposta de assumir o cargo no Fluminense até o Abel conseguir a liberação dos Árabes no ano passado, preferiu ficar na Ponte Preta, clube que defendia até o dia de hoje. Fez um excelente campeonato Paulista pela Ponte, eliminando o Corinthians em pleno Pacaembú, último jogo de Júlio Cesar como titular do alvi-negro paulista.

Nesse jogo, ele foi sagaz, armou o time muito bem, preparou as suas armas para contra-atacar e foi excelente, e quando tomou um gol que poderia complicá-lo, se sacrificou, invadiu o gramado, fez um “barraco” e esfriou o jogo por 10 minutos. Aqueles minutos foram cruciais para a classificação da Macaca para as semi-finais.

Agora sua missão é mais complicada, mas ele foi corajoso em aceitar a proposta, encarou esse desafio como uma oportunidade de estar dentre os melhores treinadores do País. Palmeiras acertou nessa aposta.

Kleina, boa sorte e bora trabalhar!

Abraços.
Caio di Pacce.

Outro time

Ao vencer o São Paulo, no Canindé, a Lusa terminou com um incômodo jejum. Foram mais de dois anos sem vitórias em clássicos. A última vez que a Portuguesa havia vencido outro grande (Troféu Sócrates não conta) foi na estreia do Paulistão 2010, contra o mesmo São Paulo, por 3 a 1. Independentemente da fase ruim que o São Paulo atravessa, a Portuguesa teve outra cara.
O time não vinha jogando mal, embora cometesse os mesmos pecados do Paulistão. Posse de bola, muita até, mas ninguém sabia o que fazer com ela. Era um time assustado, com medo, muita transpiração e nenhuma inspiração.
Hoje, contra o São Paulo, a Lusa foi um time consistente, ciente das suas inúmeras limitações. E isso foi preponderante para vencer. Como de hábito sob o comando de Geninho, a defesa foi armada com três zagueiros, protegidos por três trincos que saem para o jogo.
A diferença estava nas peças. No gol, a segurança impressionante do Dida, que não jogava há dois anos, mas parecia estar sob a barra da Lusa desde então. No meio, o retorno de Guilherme deu outra cara ao time. Apesar dos dois meses fora, apresentou a mesma movimentação, a mesma marcação, o mesmo passe certeiro.
Outro jogador que estreou com destaque foi o atacante Diego Viana. Mostrou presença de área, sabe sair dela para abrir espaços, aguenta porrada e, pelo visto, fede a gol. Um achado! É difícil encontrar avançados com estas características.
Claro que vitórias escondem falhas, da mesma forma que derrotas as potencializam, mas a Portuguesa mostrou uma cara que há muito não se via: de um time que venderá caro cada derrota e que lutará sempre por elas. Será campeão? Óbvio que não! Brigará na parte de cima da tabela? Também duvido, mas o clássico deste sábado é um alento para quem estava fadado apenas a lutar contra o rebaixamento.

Copeiros Elegem: Seleção do Brasileirão 2011

Como já de costume, nós copeiros elegemos a seleção do Brasileirão 2011, esse ano fizemos um pouco diferente, resolvemos utilizar um 4-3-3. Creio dessa forma deixamos a escalação um pouco mais justa. Segue a listagem:

Goleiro
1- Fernando Prass (Vasco)

Defesa
2- Mário Fernandes (Grêmio)
3- Dede (Vasco)
4- Leandro Castan (Corinthians)
6- Cortês (Botafogo)

Meio-Campo
5- Ralf (Corinthians)
8- Paulinho (Corinthians)
10- Diego Souza (Vasco)

Ataque
11- Neymar (Santos)
9- Borges (Santos)
7- Fred (Fluminense)

T. Tite

O que acharam?

Abraços.
Caio di Pacce.