Ronaldo Nazário: O futebol antes e depois dele.

Ronaldo não somente revolucionou o mundo da bola dentro das quatro linhas, depois dele o mundo do futebol mudou muito fora dos gramados também. Veja a bela homenagem da Nike para o Fenômeno:

Abraços.
Caio di Pacce

Top 10: Gols mais marcantes do futebol brasileiro (2000-2010)

Eu fiquei montando essa semana um TOP 10 gols brasileiros dessa última década (2000-2010), influenciado pelo post do Flaco Marque no Papo de Homem, Summer Tapes. Bem, depois de muito pensar, resolvi mesclar plasticidade com drama e emoção, acho que essa é a combinação perfeita para um golaço ser eternizado. Segue a Lista, lembrando que a ordem dos vídeos não significa um ranking:

01 Diego Souza – Palmeiras x Atlético-MG – 2009

02 Ricardinho/Marcelinho – Paulistão – 2001

03 Alex, O Chapeleiro do Morumbi – 2000

04 João Paulo – Juventus x Linense – Copa FPF – 2007

05 Nilmar – Inter x Corinthians – 2009

06 Anderson – Grêmio – Batalha dos Aflitos – 2005

07 Petkovic – Flamengo x Vasco – Carioca

08 Ronaldo – Santos x Corinthians – Final paulista 2009

09 Washington – Fluminense x SPFC – Libertadores – 2008

10 Ronaldo – Corinthians x Palmeiras – 2009

Sei que essas listas sempre deixam aquele golaço de fora, mas esses foram os que eu selecionei.

Abraços
Caio di Pacce.

 

Ronaldo: Um brasileiro

- Eu fiz 15 em Copas!

Ao invés de escrever sobre a estréia de Neymar na Libertadores, ou sobre esses rumores  da ida de Ganso para o Corinthians, quero prestar mais uma homenagem ao príncipe do futebol. Essa semana, nós, amantes da pelota, fechamos mais uma era do futebol, a era de Ronaldo.

O jovem brasileiro de Bento Ribeiro, Ronaldo mudou o futebol, revolucionou  o modus operandi da estrutura de contratos, mídia que a gente conhecia. Ele globalizou o mundo da bola.

Mas ele ensinou para o mundo o que é ser brasileiro. O brasileiro é aquele que sofre, que lute e que renasce. O brasileiro é aquele que não tem as melhores condições, mas se destaca pelo interior, pela fé que tem em si próprio e pelos companheiros.

Ronaldo é um brasileiro. E mostrou para mundo isso, nos instantes (por três vezes) em que todos os davam como morto na bola, ele levantou a cabeça e se ergueu, e ergueu taças, inclusive a Taça do mundo. Com 15 gols se tornou o maior artilheiro em Copas.

Seu exemplo de superação ficou para o mundo e deve sempre ser lembrado. Ele foi único, foi o que fez mais vezes o inacreditável, dentro e fora do campo.

Ronaldo é um brasileiro. Aquele que gosta de viver a vida, que tem vícios, que quando conquista tudo se dá o direito de relaxar e se acomodar. De 2006 até hoje, essa parte do brasileiro tomou conta dele. Mas, ele é brasileiro e mesmo com essa forma não tão atlética, conseguiu surpreender a muitos (quiçá todos).

Tudo isso quando seu corpo deixou.

Ronaldo é brasileiro e um fenômeno.
Obrigado por tudo, como brasileiro eu agradeço. E que as novas safras lembrem-se com carinho de você.

Abraços.
Caio di Pacce.

Obrigado, Ronaldo

Chega ao final a carreira mais vitoriosa do futebol brasileiro pós-Pelé. Ronaldo, enfim, parou. Não vou ficar enumerando os feitos deste, merecidamente, Fenômeno. Isto vocês verão e ouvirão aos montes por aí.

Ronaldo entrou para o panteão dos craques do esporte, assim como Boris Becker, Alan Prost, Magic Johnson, Robert Scheidt. Raros são os que atingem tal status.

Entre erros e acertos, o saldo é positivo. É possível que não tenha sabido gerenciar sua carreira fora dos campos, quando deixava de treinar para cumprir compromissos com patrocinadores. No entanto, enquanto esteve no auge não houve no mundo, exceto por Zidane, outro caso à parte, quem fizesse frente ao hoje grosseiramente gordo atacante.

Há de haver quem diga que ele não soube a hora de parar. Mas quem é que saberia, a não ser o próprio? Não foram poucas as vezes em que estava decretado o seu final. Ele, Ronaldo, estava acabado para o futebol quando arrebentou o joelho, ainda na Internazionale. Era apenas o primeiro jogo após a longa recuperação da primeira cirurgia. Teimou, voltou e brilhou na Copa de 2002. 

Excesso de peso e escândalos marcavam sua vida extra-campo, quando resolveu voltar ao Brasil. Chegou no Corínthians e comandou a equipa nas duas conquistas do Alvinegro, em 2009. Não foi o suficiente para voltar à Seleção e disputar a Copa de 2010, mas não acredito que poderia fazer mais do que fez em 2006, já fora de forma.

Quem fez tanto pelo futebol não merecia o tratamento que recebeu de um bando de vagabundos que não representam, absolutamente, a torcida corintiana. O futebol do Brasil deve muito a ele e não seriam meia dúzia de bandidinhos que mudariam isso. Se eu torcesse pela Seleção, estaria agradecendo por tudo o que ele fez dentro de campo. Como não é o caso, agradeço por algo bem maior, o exemplo de superação. Obrigado, Ronaldo.

Fim de uma Era

Conforme o jornal Marca antecipou hoje, Ronaldo Fenômeno deve anunciar o fim da carreira nesta segunda-feira. É o fim de uma Era no futebol brasileiro. Afinal, depois do Fenômeno nenhum outro atacante conseguiu substituí-lo à altura na Seleção Brasileira. Ronaldo também é o pioneiro do Futebol Marketing, com contratos milionários e patrocinadores aos montes por onde passou.

Mais do que julgar sua decisão – se ela deveria ter ocorrido antes ou não – é mais bacana relembrar o que esse craque fez dentro de campo por Cruzeiro, PSV, Barcelona, Inter, Real Madrid, Milan, Corinthians e Seleção Brasileira.

Cruzeiro

PSV

Barcelona

Inter de Milão

Real Madrid

Milan

Corinthians

Seleção Brasileira

A falta do camisa 9.

O Corinthians mais uma vez mostrou que precisa de um camisa 9. Ontem enfrentou o bom Cruzeiro em Minas Gerais. Jogo duríssimo, 1×0 para a raposa. Mas faltou futebol aos Corinthianos.

Ano passado, nesse mesmo embate em Minas Gerais o placar foi diferente. 2×1 pro Timão. Melhor em campo foi Ronaldo. Ele deu um lindo passe para Jorge Henrique no primeiro gol e recebeu um presente de Jucilei para completar no segundo. Ele ainda perdeu um penalti, mas foi o jogador que fez a diferença no jogo.

Veja os gols daquele embate:

Enquanto isso, em Goiás, o Fluminense fazia 3xo no Goiás com 2 gols de Washington, um atacante que estava dando sopa no mercado, já que fora colocado na geladeira pelo SPFC. E ainda mais, durante essa semana o Flamengo anunciou a contratação de 2 atacantes de altíssimo nível: Diogo e Deivid.

O Corinthians tem bons jogadores e um bom elenco, porém carece de um matador. Ronaldo, cada dia que passa, está mais longe de voltar aos gramados e não há ninguém para fazer a mesma função.

O Fluminense, que não tem nada com isso, vai abrindo na liderança……

Abraços.
Caio di Pacce.

FOTO: LANCENET!

Flamengo Guerreiro

Ontem em meio a um dilúvio no Maracanã, Flamengo e Corinthians se enfrentaram pelas oitavas-de-final da Taça Libertadores da América.Era o confronto entre Ronaldo e Adriano.

O time do Corinthians tentou fazer uma bela primeira etapa, mas a chuva não deixava ninguém jogar, Michael, o camisa 22 rubro-negro, deixou as coisas mais fáceis ainda para o timão: Levou o segundo amarelo em um lance muito infantil.

O segundo tempo foi melhor, São Pedro deu uma trégua com a chuva, e os times começaram a jogar. E quando todos pensaram que o time paulista ia crescer, ia dominar a partida, foi o Flamengo que se mostrou aguerrido e buscou bem os contra-ataques.

Em um desses contra-ataques, Moacir cometeu penalti bobo em Juan. O imperador bateu e deu números finais para a partida.

Nada ainda está decidido, mas o Corinthians precisa tirar 2 gols de diferença, coisa que ainda não fez na Libertadores. O Pacaembu estará fervendo, mas Ronaldo precisa jogar.

Abraços.
Caio di Pacce.

Foto: LANCENET!