Luíz Felipe ou morte

No retorno de São Januário para São Paulo, o treinador Antônio Carlos Zago e o atacante Robert do Palmeiras discutiram feio dentro do ônibus. Alguns rumores dizem que houve até alguns murros entre o comandante e o comandado.

O treinador Antonio Carlos Zago já foi demitido, Robert ainda será avaliado. Uma história muito parecida com a de Obina e Maurício, quando os dois jogadores foram as vias de fato em pleno estádio Olímpico, após dois dias ambos jogadores foram expulsos do elenco palestrino.

Agora eu me pergunto: – Esse poço em que o Palmeiras está se enfiando, tem fim? Desde o fim do Brasileirão do ano passado o time só vem perdendo forças, dia após dia, foi o Vágner Love, o Muricy Ramalho, o Diego Souza, agora (talvez) Zago e Robert. O elenco do clube está ficando cada vez menor e nada do time voltar a respirar bons ares em 2010.

O jornalista Juca Kfouri se fez essa mesma pergunta no programa Linha de Passe da ESPN Brasil de ontem, e obteve uma solução para o clube de Pq. Antártica, talvez a única: – Luís Felipe ou morte.

Abraços.
Caio di Pacce.

Anúncios

Mais que um título perdido

Na noite de ontem, aconteceram três coisas em Porto Alegre. O Grêmio manteve sua invencibilidade de 14 meses no estádio Olímpico. O Palmeiras saiu da briga pelo título do Brasileirão. Obina e Maurício resolveram encerrar as respectivas carreiras.

O jogo per se só ocorreu no primeiro tempo. Um jogo truncado nas intermediárias, onde os goleiros pouco trabalharam. O lateral Armero, embora esforçado e nervoso, demonstra não ser muito técnico. Não é a toa que a seleção de seu país está fora da Copa.

Diego Souza parecia mais desperto do que nos últimos jogos. E Pierre, demonstrando a garra costumeira que vem construindo seu nome.

No entanto, após o gol do Grêmio, pudemos saber o que estava errado no Palmeiras. Em um bate-boca, provavelmente infantil, Obina e o zagueiro Maurício chegaram as vias de fato. Dessa forma, assim como em 2008, o racha no elenco palestrino ficou evidente.

O bom Éber Roberto expulsou corretamente ambos. Muricy teve bom senso e se conformou. Diego Souza reuniu os companheiros e tentou arrumar a casa. Não deu. Final: Grêmio 2 a 0.

O tricolor gaúcho mostrou sua grandeza. Jogou sério, como se buscasse ainda alguma coisa no campeonato. Douglas Costa é um nome a ser acompanhado de perto. E Maxi Lopez mostrou identificação com o clube. Souza embora um pouco mais apagado, manteve a regularidade.

O Palmeiras tem de fechar para balanço. Não mostrou sua grandeza nesse ano de 2009. O planejamento não surtiu efeitos. Aprendeu pela dor que, às vezes, bons nomes não significam bons resultados.

O sangue italiano ferveu e deu espaço para muita irresponsabilidade. Até o ponderado Belluzo saiu dos trilhos. Muito se dirá sobre que rumos o Palestra deve tomar, mas uma coisa é certa: qualquer que for o novo caminho, ele terá de ser trilhado com serenidade e consistência.

Somente dessa forma, não se verá mais catástrofes infantis como essa. Nem contratações aberrantes, seja de técnicos ou de jogadores. No futebol, soluções de curto prazo geralmente não são as melhores.

E Belluzo sabe muito bem disso.

OBS: Maurício e Obina foram dispensados do clube nessa manhã.

Foto: Ricardo Rimoli

O Obina voltou

 – Ufa!! O Palmeiras voltou a vencer! Foi isso que o torcedor palmeirense pensou após o término da partida de hoje entre Palmeiras x Goiás. Um massacre azul palestrino 4 x 0 em cima do esmeraldino goiano. E um nome no jogo: Obina.

Um primeiro tempo muito nervoso, 0x0 truncado com uma maior posse de bola do Goiás, um milagre do Santo e uma bola na trave de Diego Souza. E como já está virando costume, o time do Goiás perde força no segundo tempo.

Um segundo tempo totalmente paulista. Obina deu show, o jogador pode ser ruim tecnicamente, chega até a ser folclórico, mas tem muita raça e decide, segue scout do jogador:
– em boa trama, saiu na cara do goleiro Harlei e desceu o pé no ângulo. 1×0.
– em cobrança de pênalti sofrido por Ortigoza, Obina bateu forte no canto direito, Harlei foi bem e até tocou na bola, mas 2×0 Palmeiras.
– No terceiro gol, deu um lindo passe de calcanhar para o terceiro gol, de D. Sacconi. 3×0 Verdão, o Goiás já com 10.
– E, em um contra-ataque, saiu na cara de Harlei de novo, agora com calma tirou do goleiro. Massacre completo: 4×0.

O time do Palmeiras mostrou a raça de sempre, mostrou a força que o fez ser líder novamente, e agora, com 2 pontos de diferença do vice São Paulo, devido à uma vitória do tricolor carioca por 2×1 contra o Galo, em boa partida de Fred.

O time do Palmeiras vem renovado, motivado e com mais força para o clássico de domingo. Sobre malas brancas que supostamente foram propostas ao time do Pq. São Jorge, tenho uma opinião: O jogador que precisar de dinheiro para se motivar em um clássico como esse, não sabe o que é Palmeiras x Corinthians, Corinthians x Palmeiras.

Abraços.
Caio di Pacce

 

2975571

PS: Um abraço ao amigo Mestre Flaco, boa viagem e love is in the air.