Top 10: Gols mais marcantes do futebol brasileiro (2000-2010)

Eu fiquei montando essa semana um TOP 10 gols brasileiros dessa última década (2000-2010), influenciado pelo post do Flaco Marque no Papo de Homem, Summer Tapes. Bem, depois de muito pensar, resolvi mesclar plasticidade com drama e emoção, acho que essa é a combinação perfeita para um golaço ser eternizado. Segue a Lista, lembrando que a ordem dos vídeos não significa um ranking:

01 Diego Souza – Palmeiras x Atlético-MG – 2009

02 Ricardinho/Marcelinho – Paulistão – 2001

03 Alex, O Chapeleiro do Morumbi – 2000

04 João Paulo – Juventus x Linense – Copa FPF – 2007

05 Nilmar – Inter x Corinthians – 2009

06 Anderson – Grêmio – Batalha dos Aflitos – 2005

07 Petkovic – Flamengo x Vasco – Carioca

08 Ronaldo – Santos x Corinthians – Final paulista 2009

09 Washington – Fluminense x SPFC – Libertadores – 2008

10 Ronaldo – Corinthians x Palmeiras – 2009

Sei que essas listas sempre deixam aquele golaço de fora, mas esses foram os que eu selecionei.

Abraços
Caio di Pacce.

 

Anúncios

Diego Souza no Corinthians? É o que parece.

O craque do Brasleirão 2009 não entrou em campo em 2010. O camisa 7 do Palmeiras, camisa que grandes jogadores de raça e força já vestiram, como Edmundo, não se encontrou nesse ano.

Claramente desmotivado pelo pífio resultado do time no ano passado, o jogador não vinha jogando bem e tudo piorou quando o jogador xingou a torcida no embate contra o Atlético-GO pela Copa do Brasil.

 A diretoria do Palmeiras disse que ele não veste a camisa do clube, mas isso pelo fato dele não se desculpar e por fingir contusão para não ir com o time para Goiânia enfretar a segunda mão das quartas-de-final da Copa do Brasil, contra o mesmo Atlético-GO.

Como o jogador anda desprestigiado, não há ofertas no mercado que apetecem a Traffic, detendora dos direitos federativos do jogador. Assim, o jogador terá que procurar vagas em clubes brasileiros mesmo.

Há rumores dele vir para o centenário clube da Marginal Tietê, uma vez que seu empresário é o mesmo que o do treinador Mano Menezes e que o jogador foi muito bem aos comandos do mesmo Mano Menezes em 2007 no Grêmio, quando chegou à final da Taça Libertadores.

Ainda há chances dele ir para o Fluminense ou Internacional.

Abraços.
Caio di Pacce.

Rodada Robin Hood

A rodada de ontem válida pelo campeonato paulista de 2010 pode ser considerada uma rodada “Robin-Hood”, ou a rodada da Lusa. O trio de ferro paulistano não souberam aproveitar as chances que tiveram, e juntos, marcaram apenas 1 ponto, com o 10o colocado Palmeiras.

O centenário Corinthians, da dupla “Ro-Ro”, perdeu em Jundiaí para o Paulista, do veteranto Baiano, pelo placar de 1×0, tento marcado por Mazola, aos 21 da segunda etapa. O fenômeno Ronaldo, estava pouquíssimo inspirado, muito apático e fraco tecnincamente, em uma noite de Souza. Saiu vaiado pela torcida e foi flagrado mostrando o famoso “dedo do meio” para os que criticavam.

Do outro lado do clássico de domingo, o tricolor paulista fez uma partida franca com o Bragantino, como disse Rogério Ceni, uma partida aberta, um jogo jogado, mas o faro de gol do criticado (mas amado) Washington fez falta, o ataque não aproveitou as chances que teve.

E segundo o ditado mais velho (e verdadeiro) do futebol: – Quem não faz, toma! E o São Paulo tomou, 1×0 para o Bragantino no fim da partida, em um lance de escanteio.

Já o desclassificado Palmeiras, foi à Araraquara enfrentar o Rio Branco. Num jogo de só um tempo, já que os gols sairam na primeira etapa. E o Palmeiras começou o jogo com 1 gol de Diego Souza, mas logo tomou a virada do time de Americana, e quase no fim do primeiro tempo, em linda tabela de Ewherton e Robert, o Palmeiras empatou a partida.

Agora falta o Santos dar uma colher de chá para os times do interior. Veremos hoje.

Abraços.
Caio di Pacce.

Onde tem fumaça…

Um insoso Palmeiras empatou com uma irregular Portuguesa na tarde de ontem. A partida foi bem acirrada a despeito das condições pantanosas do gramado.

O destaque negativo mais uma vez foi o lateral palestrino Pablo Armero. Em mais uma de suas afastadas infelizes, a bola rebateu e sobrou para Luiz Carlos abrir o placar para a Lusa sem dificuldades.  No segundo tempo, Danilo igualou  para o Porco.

Muricy Ramalho insiste na receita que o consagrou no São Paulo, mas que todo o mundo (isso incluí times estrangeiros), já manjou. Chuverinho na área é uma jogada que, quando manjada, raramente continua eficiente. Quanto a Armero, a sua titularidade é pura falta de opção. Não é um jogador ruim, mas está em uma péssima fase. Algumas rodadas de banco poderiam fazer bem.

Do outro lado, Vagner Benazzi precisa acertar o time que, no papel, não é ruim. Conta com a experiência e o comprometimento de Arthisson, que parece ter gostado do Canindé. E ainda o atacante Heverton, que também parece motivado.

Mais uma vez, o campeonato paulista serve para o Santos acumular títulos. Com o desinteresse dos outros grandes e a draga palmeirense, o Peixe vai consolidando seu caminho para as finais. Ontem, com um baita golaço de Neymar, arrancou uma boa vitória sobre o Santo André.

Mesmo que seja um campeonato disputado e com grandes estrelas, está esvaziado. Os grandes miram a Libertadores e buscam afinar seus times. Enquanto que os pequenos não almejam grandes coisas, devido a precariedade de seus plantéis. A Federação Paulista ainda ajuda com horários impraticáveis para determinados jogos.

Pode não parecer, mas querem acabar com os Estaduais.

Boleiros

Escreve Tércio Silveira.

Ronaldo e Roberto Carlos no Corinthians; Adriano, Vagner Love e Pet no Flamengo; Diego Souza e Marcos no Palmeiras; Robinho, Neymar e Giovani no Santos; Dodo e Carlos Alberto no Vasco; Kléber no Cruzeiro; Rogério Ceni e Washington no São Paulo; e, por fim, Joel Santana como técnico do Botafogo.

Quando na história recente do futebol brasileiro grandes clubes reuniram tantos boleiros “de raiz” ? Todas as características que formaram a identidade do esporte bretão no país estão aí representadas: o craque decisivo, o veterano dono do time, o xodó da torcida, o artilheiro que só faz gol bonito, o moleque travesso, o tido como mascarado, o guerreiro e muitos jogadores-problema.

Pois é amigo, a temporada 2010 promete ser das melhores nos campos daqui. Bons duelos e jogadas de efeito não vão faltar. Com eles, espero que as provocações sadias voltem ao cotidiano do futebol. Apostas em quem vai fazer gol em quem, falar que o time Y é freguês do time X… e por aí vai.

Enquanto os defensores do futebol moderno pedem “Profissionalismo!”, prefiro clamar por Fanfarra!

Se os times vão funcionar com eles em campo, é outra história. Prefiro torcer e acreditar que sim, pelo bem do futebol.

Escreveu Tércio Silveira.

Foto: globoesporte.com

O mesmo Palmeiras, e a líder Lusa

O continuísmo da mesma base de um time leva a um melhor entrosamento e rendimento do que um time recém montado. O Palmeiras foi o melhor time na primeira rodada devido a isso, pois manteve a mesma base que terminou o BR09.

Porém, manter o mesmo time faz com que o time continue apresentando os mesmos vícios, e defeitos, e o time de Pq. Antártica mostrou ontem os mesmos problemas do ano passado no empate por 2×2 com o Grêmio “Barueri” de Presidente Prudente.

O time do Palmeiras é leve, de movimentação, porém a primeira linha do meio campo continua jogando muito distante da zaga por precisarem criar as jogadas, isso expõe os zagueiros e os laterais, que tiveram dificuldades em sair pra dar o bote nos atacantes, principalmente no  jovem e rápido Flavinho. E os meias, Cleiton Xavier e D. Sacconi, no caso de hoje, ficaram presos à marcação prudentina do Barueri.

O Muricy tem que mostrar que ele “é trabalho” e consertar esse vício do palmeirense, de modo a compactá-lo, garantindo uma boa proteção defensiva, sem perder a mobilidade e criatividade do time palestrino.

Ontem, um pouco devido ao gramado também, o time alviverde ficava muito exposto devido a seguidos passes errados, o bom volante Márcio Araújo errava muito, porém melhorou quando foi para a lateral direita, na entrada de Lovinho no lugar de Figueroa, e essa substituição ajudou o time a empatar o jogo no final do segundo tempo.

Mesmo apresentando os mesmos problemas, o Palmeiras só não ganhou a partida, pois o bom árbitro Paulo César de Oliveira estava em uma noite “inspirada”, por não dar um pênalti para o Palmeiras, e por validar um gol esdruxulamente em impedimento.

Dessa forma, a surpreendente Lusa, dos meus amigos Marquinhos Portugal e Flaco Marques, segue na liderança com 100% de aproveitamento. Uma vez que os outros times grandes tropeçaram.

Abraços.
Caio di Pacce.

Gols do meio campo.

Em minha estadia em solos londrinos vi o golaco do meio campo de Diego Souza via internet, fiquei besta de ver tal gol. Foi sensacional! Imagino a emocao de quem estava no Palestra Italia durante o embate contra o Atletico-MG.

Diego Souza contra o Galo: Palmeiras 3×1.

Ao sair do gramado, Marcos, o Goleiro salvador, disse para o jornalistas (em tom de brincadeira) que iria ser duro aguentar o Diego Souza apos o jogo, ele iria ficar desbochando de todos, dizendo que fez o gol que Pele nao fez.

O gol (que Pele nao fez) mencionado pelo goleiro foi a tentativa quase bem-sucedida do rei contra a Tchecoslováquia na Copa de 70, daquela selecao de Pele, Tostao, Jairzinho, Rivelino, Carlos Alberto Torrer e cia. Veja abaixo:

O primeiro, que eu me lembre, a ser mencionado por ter feito o gol que Pele nao fez foi o craque Rivaldo. Ate entao, o jovem jogador do Mogi-Mirim empatou a partida em 1×1 contra o Noroeste em jogo valido pelo Paulistao de 93. O jogo terminaria 4×2 para o Sapao.

 

Sempre e bom ver golacos assim.
Abracos
Caio di Pacce.