O fim do “Pré-Brasileirão” 2014

- Será que vamos ser Bi?

– Será que vamos ser Bi?

Com o término da rodada de hoje, o “Pré-Brasileirão” chega ao fim e se inicia a tão desejada pausa para a Copa do Mundo. E, vejo esse início do campeonato regional sem muitas surpresas. Os times que estão na frente são os meus favoritos a conquistar o título e os times que estão lá embaixo, são os meus favoritos para disputar a série B.

Dos quatro primeiros, destaco o Cruzeiro como o mais forte, o mais conciso e o com o elenco mais igual dentre as 20 equipes que disputam o campeonato Nacional. O segredo dos pontos corridos é manter o mesmo nível e padrão de jogo, haja o que “hajar” (hehehe). Ou seja, se você perder seus principais jogadores, você tem que ter um elenco que supra essas necessidades. E eu vejo o Cruzeiro o mais preparado para enfrentar a maratona do segundo semestre.

Um que pode chegar é o tricolor paulista, o SPFC está se reforçando muito bem, principalmente na frente. Possui um ataque muito forte e veloz e com peças de reposição de altíssima qualidade, além de ter um treinador mais do que calejado nesse tipo de competição. Se vier um zagueiro, como Lugano, o time tem tudo para brigar com o Cruzeiro pelo caneco.

O Corinthians, com a chegada de Elias e Lodeiro pode brigar, mas vejo o elenco corinthiano um degrau abaixo, uma vez que seu treinador não tem o time na mão e não consegue dar um padrão tático decente para a equipe. Além disso, time campeão tem que vencer em casa, e na arena, o time alvi-negro ainda não desencantou.

Bem, falaremos de Brasileirão agora só em Agosto. Que venha a Copa do Mundo, ou não.

Abraços.
Caio Di Pacce.

E o Santos virou Brasil na Libertadores.

Hoje 4 clubes brasileiros disputavam 4 vagas para as quartas-de-final da Taça Libertadores. Internacional, Fluminense, Grêmio e Cruzeiro queriam se juntar ao Santos na próxima fase da competição mais importante do continente. Porém, a noite foi mais do que negra para os clubes tupiniquins.

O Internacional recebeu o uruguaio Peñarol em casa após um 1×1 no Uruguai. Falcão no banco e a torcida estava feliz. O time vermelho abriu o placar logo no primeiro minuto de jogo com Oscar. Mas, no segundo tempo, com 15s o time uruguaio empatou, e aos 5 virou. Daí era nervosismo puro na arquibancada e no campo. Inter eliminado.

Como disse Tércio Silveira, pergunto: O que o comentarista Falcão falaria do treinador Falcão após a partida?

O Grêmio foi ao chile precisando vencer por 2 gols, missão complicada, ainda mais com o show que a torcida da La U dava nas arquibancadas, umas das canchas mais locas dessa Libertadores. O time do Grêmio jogou muito pouco, parecia estar sem alma, tomou 1×0 e voltou pra casa sem a vaga.

Porém o mais impressionante foi o que aconteceu com Fluminense e Cruzeiro:

O primeiro se classificou na raça, na guerra, em pleno estádio Libertadores da América contra o Independente. No Engenhão, jogou mal, porém venceu por 3×1 o paraguaio Libertad, e estava tranquilo. Eu disse estava. Porém, no Defensores del Chaco, mais uma vez o tricolor carioca jogou mal e tomou um vareio de bola. 3×0 e a vaga para os donos da casa.

E o Cruzeiro, o todo poderoso Cruzeiro, que era a sensação da América, foi à Colômbia e venceu o Once Caldas por 2×1. Essa foi a segunda derrota da HISTÓRIA do time colombiano na Libertadores. Jogo de volta tranquilo, já ganho? Não! Ainda mais quando o meia (arriada) Roger foi expulso aos 30 minutos do primeiro tempo.

Com isso, o time colombiano cresceu. Foi tomando conta do jogo. Em 5 minutos calou o estádio, aos 21 abriu o placar e aos 26 fez o 2×0 que lhe dava a vaga. Daí em diante era aquela catimba característica da Libertadores contra Brasileiros, até o Massagista invadiu o gramado para parar o jogo.

Depois dessa quarta-feira negra para o Brasil, o Santos só dá risada, pois é o único brasileiro da Libertadores.

Abraços.
Caio di Pacce.

Com a taça na mão

O Brasileirão é fácil o campeonato mais emocionante do mundo. A rodada do fim de semana era para definir o campeonato. O Corinthians está com a taça na mão, mas infelizmente não pelo futebol apresentado na última rodada.

Não vou entrar na discussão sobre complôs, armações, nada disso. O time corinthiano foi beneficiado pela arbitragem contra o Cruzeiro, assim como fora prejudicado contra o Guarani, simples assim.

Como membro da Liga anti-penaltis à brasileira, criada pelo jornalista Mauro Cezar Pereira da ESPN Brasil, não marcaria nada no lance que definiu o jogo do Pacaembu.

O Cruzeiro foi melhor durante os 90 minutos, teve lances não marcados pela arbitragem, impedimentos, faltas, e no primeiro lance duvidoso a favor do Corinthians. Mas daí, fazer todo aquele estardalhaço após a partida, é brincadeira.

Todo essa discussão do pênalti em cima do Ronaldo teria uma tonalidade menor, se o Fluminense fizesse o dever de casa. Mas, o time de Muricy Ramalho sentiu a pressão e empatou contra o virtual rebaixado Goiás.

Agora, o Corinthians está com a taça nas mãos, Tite tem o grupo na mão, Ronaldo é decisivo, Roberto Carlos também. Tudo conspira a favor do Timão. Será que alguém tira o penta do Parque São Jorge?

Abraços.
Caio di Pacce.

O fator Palmeiras e São Paulo

Faltam 4 rodadas para o fim do Brasileirão. Pela primeira vez desde 2003, com a mudança para os pontos corridos, três times brigam na ponta da tabela com apenas 1 ponto de diferença. Um final eletrizante, mostrando mais uma vez que essa é a melhor fórmula de disputa do campeonato nacional.

Porém, a tabela pode (ou não) ter prejudicado o Corinthians, dado que nesse resto de campeonato os seus rivais locais, Palmeiras e São Paulo, enfrentam o Fluminense. O time verde ainda termina o brasileiro jogando em Minas contra o Cruzeiro.

- Hei! Podemos decidir o Brasileiro

O time de Parque Antártica já desencanou do Brasileiro, colocou 8 reservas contra o Guarani no último domingo, e essa será a opção do treinador Felipe Scolari para as próximas rodadas caso ganhe dos reservas do Atlético-MG na próxima quarta-feira pela Sul-americana.

O Palmeiras está priorizando o torneio que tem condições de ganhar, uma vez que não tem um elenco recheado de bons jogadores, que lhe permite ter dois times competitivos. Não é uma opção do treinador para prejudicar o rival, mas sim para beneficiar o clube.

O tricolor carioca e o clube azul de Minas enfrentarão sim um Palmeiras enfraquecido, mas não um time disposto a perder.

O São Paulo ainda briga por uma vaga na Libertadores. Como fez há duas rodadas atrás contra o Cruzeiro, brigará pelos 3 pontos e venderá caro a derrota no jogo contra o líder Fluminense, mesmo com a brincadeira do site corinthiano.

Não haverá entrega de pontos para Cruzeiro e Fluminense. Disso o Corinthians não pode reclamar.

Abraços.
Caio di Pacce.

ENQUETE: Quem vai levar o Brasileirão?

 

Abraços.
Caio di Pacce

A falta do camisa 9.

O Corinthians mais uma vez mostrou que precisa de um camisa 9. Ontem enfrentou o bom Cruzeiro em Minas Gerais. Jogo duríssimo, 1×0 para a raposa. Mas faltou futebol aos Corinthianos.

Ano passado, nesse mesmo embate em Minas Gerais o placar foi diferente. 2×1 pro Timão. Melhor em campo foi Ronaldo. Ele deu um lindo passe para Jorge Henrique no primeiro gol e recebeu um presente de Jucilei para completar no segundo. Ele ainda perdeu um penalti, mas foi o jogador que fez a diferença no jogo.

Veja os gols daquele embate:

Enquanto isso, em Goiás, o Fluminense fazia 3xo no Goiás com 2 gols de Washington, um atacante que estava dando sopa no mercado, já que fora colocado na geladeira pelo SPFC. E ainda mais, durante essa semana o Flamengo anunciou a contratação de 2 atacantes de altíssimo nível: Diogo e Deivid.

O Corinthians tem bons jogadores e um bom elenco, porém carece de um matador. Ronaldo, cada dia que passa, está mais longe de voltar aos gramados e não há ninguém para fazer a mesma função.

O Fluminense, que não tem nada com isso, vai abrindo na liderança……

Abraços.
Caio di Pacce.

FOTO: LANCENET!

Classificação paulista!

Hoje dois grandes jogos aconteceram, duas classificações importantíssimas em dois grandes clássicos do futebol brasileiro. No Morumbi, o São Paulo recebeu o Cruzeiro podendo perder até por 2 gols de diferença, em jogo válido pelas quartas-de-final da Copa Libertadores.

Na Vila Belmiro, o palácio do futebol brasileiro, recebeu um jogaço entre Grêmio e Santos, válido pela semi-(final) da Copa do Brasil, no qual o time da casa precisava ganhar do tricolor gaúcho. A disputa dos dois melhores times do Brasil, na minha humilde opinião.

A missão do São Paulo não era difícil, e ficou muito mais fácil quando Kléber foi expulso no primeiro minuto de jogo, após isso, o São Paulo manteve a posse de bola e soube controlar toda a partida. Os gols tricolores foram meros detalhes, Hernanes abriu o placar no primeiro tempo e Dagoberto completou no segundo: 2×0 e um massacre tricolor. Classificação merecida.

O Santos sofreu muito, principalmente no primeiro tempo, quando o Grêmio marcou muito, conseguiu anular as principais jogadas dos jogadores santistas, e quase abriu o placar. Mas quem vacila contra o Santos, principalmente na Vila, sofre.

No segundo tempo o clube da baixada começou avassalador, o Grêmio marcava muito, mas talento é muito dificil de se marcar, em uma linda jogada PH Ganso, num petardo de longa distância, o Santos abriu o placar. Minutos depois, um contra-ataque rápido e Robinho mostrou porque joga na seleção, encobriu o Vitor e ampliou o placar.

Mas o Grêmio é forte, principalmente na bola aérea, numa falta boba Jonas cabececou e Rafael Marques diminuiu. A partir dali era um jogo aberto, sem tática e muita vontade. Nessa batalha o Santos falou mais forte, Wesley definiu o placar: 3×1.

Parabéns ao São Paulo e ao Santos.

Abraços.
Caio di Pacce.

FOTOS: LANCENET!