Minha participação no PSICOCAST sobre a Copa do Mundo!

Ae galera do Copeiros!

Essa semana participei do PSICOCAST, o podcast do Psicodoidera!

Ouçam no Link! Ou façam o Download aqui!

psicodoideraAbraços.
Caio Di Pacce.

 

Seleção da Copa do Mundo 2014 pelos Copeiros

Após o término da Copa, nós do Copeiros elegemos a Seleção da Copa do Mundo! Montada num clássico 4-4-2, cada Copeiro elegeu a sua seleção,  veja o que cada um colocou:

Seleção Caio: 
Goleiro: Neuer (ALE)
Defesa: Lahm (ALE), Hummels (ALE), Garay (ARG), Rojo (ARG)
Meio Campo: Mascherano (ARG), Schweinsteiger (ALE), Kroos (ALE), James Rodriguez (COL)
Ataque: Messi (ARG), Robben (HOL)
Técnico: Lowe (ALE)

Seleção Flaco: 
Goleiro: Neuer (ALE)
Defesa: Lahm (ALE), Hummels (ALE), Thiago Silva (BRA), Zabaleta (ARG)
Meio Campo: Mascherano (ARG), Schweinsteiger (ALE), Kroos (ALE), James Rodriguez (COL)
Ataque: Messi (ARG), Robben (HOL)
Técnico: Lowe (ALE)

Seleção Tércio: 
Goleiro: Neuer (ALE)
Defesa: Lahm (ALE), Hummels (ALE), Garay (ARG), Evra (FRA)
Meio Campo: Mascherano (ARG), Schweinsteiger (ALE), Kroos (ALE), James Rodriguez (COL)
Ataque: Messi (ARG), Robben (HOL)
Técnico: J. L. Pinto (COS)

Seleção Marquinhos: 
Goleiro: Neuer (ALE)
Defesa: Zabaleta (ARG), Hummels (ALE), Garay (ARG), Rojo (ARG)
Meio Campo: Mascherano (ARG), Kroos (ALE), Messi (ARG), James Rodriguez (COL)
Ataque: Muller (ALE), Robben (HOL)
Técnico: Jose Pekerman (COL)

Depois de fazermos os últimos acertos, a seleção ficou assim:

SELEÇÃO COPEIROS
Goleiro: Neuer (ALE)
Defesa: Lahm (ALE), Hummels (ALE), Garay (ARG), Rojo (ARG)
Meio Campo: Mascherano (ARG), Schweinsteiger (ALE), Kroos (ALE), James Rodriguez (COL)
Ataque: Messi (ARG), Robben (HOL)
Técnico: Lowe (ALE)

Captura de Tela 2014-07-16 às 00.09.41

Copa do Mundo – Copeiros – Alemanha 1 x 0 Argentina

Copa do Mundo – Copeiros – Brasil 1 x 7 Alemanha

Sobre trabalho e soberba

Quando o Brasil venceu com sobras a Copa das Confederações, vendeu a ideia de que o time estava pronto para a Copa. Afinal, venceu jogando bem e desbancou, com um indiscutível 3 a 0, a toda poderosa Espanha, àquela altura a mítica campeã mundial e bicampeã da Eurocopa.
Mas não estava. Não só do ponto de vista técnico, mas comportamental. Além de não ter apresentado nenhuma evolução técnica de tática desde então, o Brasil cometeu o maior dos pecados para quem tem uma competição como a Copa do Mundo pela frente, ainda mais em casa: acreditou que estava.
Felipão convocou um time absolutamente cru para o Mundial. Acreditou que Neymar e o Hino Nacional garantiriam a conquista do sexto título mundial. Desde que o time de apresentou com 18 dias apenas para se preparar para a Copa, uma esbórnia se instaurou na Granja Comary. em vez de treinar, o Brasil ficou fazendo sala para a Rede Globo, que fez o que quis em Teresópolis. Poucas foram as vezes que o time treinou de verdade.
Com o passar dos jogos, a evolução, que seria natural, não aconteceu. A Seleção não se encontrou como time em momento algum. Só que a comissão técnica e a dona da alma nacional venderam uma ideia diferente, de que o time já tinha decolado.
No jogo contra o Chile, o que se viu foi um time apavorado, desequilibrado psicologicamente, que já ficou no lucro por ter passado nos pênaltis. O jogo seguinte aconteceu seis dias depois. SEIS DIAS! E quantas vezes o time titular treinou? UMA só. O resto foi folga ou conversa.
Até funcionou, pois o time entrou com sangue nos olhos, embora o futebol em si tenha sido pobre. O time do Felipão apresentou muita luta, marcando alucinantemente a saída de bola colombiana e não deixando o ótimo time dirigido pelo argentino José Peckerman respirar. Quando o gás acabou, levou sufoco, mas passou. E todo mundo achou que, contra a Alemanha, era só repetir a fórmula, que a vaga na final estaria garantida.
É bobagem achar que a Seleção perdeu a segunda Copa em casa porque deu tudo errado na semifinal do Mineirão. Perdeu porque não trabalhou, porque não se preparou como deveria. Porque o experiente Felipão não deu suporte para que Neymar não fosse a única esperança da torcida. E perdeu porque acreditou que a camisa e a torcida que é brasileira-com-muito-orgulho-e-com-muito-amor seriam suficientes para ser campeão

Copeiros – Copa do Mundo – Brasil 2 x 1 Colômbia

Copa do Mundo, eu vi: Argentina 1 x 0 Suiça

En la cancha de la Copa!

En la cancha de la Copa!

Hoje eu realizei um sonho de pequeno, um sonho que tive desde 1994, quando vi Romário ganhar a taça para nós brasileiro. Queria fazer parte desse evento que é a Copa do Mundo, queria ver uma partida, independente de quem jogasse, queria ver um jogo do maior evento esportivo do mundo.

Hoje, fui ver Argentina e Suiça no Itaquerão. Vi uma Argentina que não conseguia passar o ferrolho suíço, que fez um excelente primeiro tempo, jogando nos contra-ataque. O time europeu teve pelo menos 3 chances de abrir o placar, mas não teve a competência necessária.

Já no segundo tempo, o time albiceleste conseguiu compactar melhor suas linhas e dominou o jogo, porém não conseguia criar muitas chances, pois Messi estava muito bem marcado. As chances criadas muito nos cruzamentos de Rojo, ou de chutes de fora da área.

Na prorrogação o time suíço morreu. E, em uma roubada de bola de Palácio, Lionel teve uma bola com espaço e lançou Di Maria, que bateu no contrapé, lembrando muito o gol de Rivaldo na Copa de 2002 contra a Inglaterra.

Di Maria 2014:

Rivaldo 2002:

O jogo foi muito emocionante, ainda mais para quem estava no estádio. Sonho realizado.

Abraços.
Caio Di Pacce.