Miroslav, o Mister Copa

Comemorou assim 15 vezes em Copas.

Comemorou assim 15 vezes em Copas.

Miroslav Klose, meio polaco meio alemão, nascido no dia 09 de Junho de 1978, atual atacante da Lazio. Esse atacante de não tanto brilho técnico, mas de muito oportunismo e frieza na hora de concluir igualou o recorde de gols em Copas do Mundo, que era exclusivo de Ronaldo, com 15 gols, E pode ser chamado de “O Maior artilheiro de Copa do Mundo”.

Ninguém discute quem foi/é melhor: Ronaldo ou Klose, ninguém discute quem foi mais importante em suas seleções, mas o futebol premia a meritocracia também. Ronaldo, fez muito, mas poderia ter feito muito mais em Copas, teve um final de carreira melancólico, apesar de sua passagem positiva em 2009 pelo Corinthians. Desde 2006 com problemas acima do peso, envolvimento com travestis e sendo muito infeliz com sua vida profissional após aposentadoria. A carreira de Ronaldo poderia ter sido ainda mais brilhante.

Miroslav é conhecido como Mister Copa, esse jogador soube se cuidar, soube ser profissional e se preparar para jogar a Copa de 2014 com capacidades físicas e psicológicas para ajudar a sua seleção alemã, repleta de craques, sendo considerado o melhor elenco desse Mundial

E ontem ele foi preciso mais uma vez, no JOGAÇO de Alemanha e Gana (2×2), entrou no segundo tempo e em seu primeiro toque na bola igualou o marcador e igualou o recorde, que ainda pode ser batido mais uma vez, isolando-se na artilharia.

Scouts de Miroslav em Copas
Em 2002, na Copa da Coréia e Japão, Klose fez 5 gols, todos de Cabeça, sendo o segundo artilheiro daquela competição, junto do craque Rivaldo.

Em 2006, jogando em casa, Klose fez mais 5 gols, ganhando dessa vez a chuteira de ouro. Seu gol mais importante foi contra Argentina nas quartas-de-final, empatando a partida.

Em 2010, Klose fez na Copa do Mundo 4 gols. O mais impressionante é que ele fez os mesmo número de gol em toda a temporada 2009-2010 pelo Bayern de Munich. Klose realmente se sente em casa jogando Copa do Mundo.

Em 2014, Klose apenas (ainda) jogou uma partida e fez 1 gol. Vamos ver se ele tem a oportunidade de se isolar.

Parabéns Miroslav Klose, sua constancia, seu profissionalismo, sua frieza e oportunismo te premiaram.

Abraços.
Caio Di Pacce.

Anúncios

E a Copa Começou, 3×1 Brasil

Estréia de Neymar com 2 gols

Estréia de Neymar com 2 gols

Está tendo Copa do Mundo no Brasil. Hoje, após uma festa de abertura mais ou menos, mais ou menos, o Brasil enfrentou o bom time da Croácia num belo jogo de futebol em São Paulo. E a Copa começou bem melhor do que o jogo de estréia na África do Sul, teve muita emoção na entrada dos times e no hino nacional, teve susto com o gol contra de Marcelo, teve força de recuperação do time brasileiro, com 2 gola de Neymar em sua estréia de Copa do Mundo e um partidaço de Oscar.

O Brasil entrou em campo visivelmente nervoso, o time estava sentindo o peso da estréia, após entrarem em lágrimas no hino nacional, o selecionado canarinho demorou para transformar a energia das arquibancadas em futebol. E nesse momento a Croácia aproveitou, chegou nos contra-ataques pelos flancos, nas costas de Daniel e Marcelo, abrindo o placar.

E nesse momento, o time de Felipão mostrou um poder de reação que ainda não havia mostrado, pois sempre saía na frente do placar. E não decepcionou. Neymar mostrou que pode ser decisivo, abriu um placar num chute cirúrgico, devagar, no santinho: 1×1.

Depois disso o Brasil começou a dominar o jogo. Ganhou o meio campo, Oscar marcava por ele e por Paulinho, que foi mal. Luiz Gustavo fazia a primeira volância muito bem, não deixando Modric gostar do jogo e Davi Luiz foi um monstro atrás.

Fred estava pouco participando da partida, até que demonstrou um poder de atuação muito bom, que ludibriou o árbitro japonês que deu um pênalti para o Brasil, Neymar cobrou mal, mas a bola entrou: 2×1.

E, no final da partida, quando a Croácia voltou a jogar, o Brasil puxou um contra-ataque e o menino Oscar, de bico, lembrando Romário, completou o placar: 3×1.

A estréia foi boa da seleção brasileira e a Copa começou bem, já com cara de Copa do Mundo. Sejam bem-vindos, a Copa é aqui.

Abraços.
Caio Di Pacce.

“No nos importa la muerte”

CHI CHI CHI LE LE LE

CHI CHI CHI LE LE LE

Uma das seleções sulamericanas que mais evoluíram tecnicamente desde a Copa da África foi a seleção chilena. Um time muito bem armado pelo treinador Jorge Sampaoli, que é rápido, técnico e que roda a bola com extrema qualidade, os destaques dentro das quatro linhas são  o volante Vidal (Juventus), os atacantes Alexis Sanchez (Barcelona), Vargas (Napoli) e o meia Valdívia (Palmeiras).

É um time que pode chegar mais longe que as oitavas de final da última Copa, mas terá um caminho muito difícil, o Grupo B. Chamado pelas terras andinas como o Grupo da Morte, formado por Espanha, Holanda, CHILE e Austrália. O selecionado “rojo” terá que passar  pelas duas equipes que fizeram a final do último mundial.

Sabendo disso, vejam a campanha o Banco do Chile fez para dar “Apoyo” ao seu selecionado:

Arrepiei muito ao ver essa campanha, os mineiros todos alinhados, dizendo: “-  O caminho é difícil? O grupo é difícil? É o grupo da Morte? !!NÃO NOS IMPORTAMOS COM A MORTE, POIS A MORTE JÁ VENCEMOS ANTES” CHI! CHI! CHI! LE! LE! LE!”

Esse time pode supreender, o time da Espanha está envelhecido, o da Holanda é forte, mas o Chile pode surpreender. #ChileEuAcredito

Abraços.
Caio Di Pacce.

 

Henrique, Anderson Polga e a lealdade de Felipão

– Eu vou pra Copa!

A convocação de Luis Felipe Scolari para a Copa do Mundo contou com poucas novidades e poucas contestações. Um dos nomes que mais geraram estranheza para o público geral foi o de Henrique, ex-Palmeiras.

Felipão é leal, ele quer ao lado dele aqueles em quem ele confia. Henrique foi jogador dele de 2010 até 2012, quando os dois defendiam a camisa alvi-verde de Palestra Itália e o ex-camisa 3 do verdão foi leal com Scolari, jogou aonde o professor mandava e foi bem em todas as posições.

Henrique se destacou também durante a Copa do Brasil em 2012, quando foi movido para a primeira volância e essa alteração deu ao Palmeiras uma consistência tática, uma marcação equilibrada e uma boa saída de bola. Além disso, quantas vezes você amigo palmeirense não via Henrique na grande área jogando de Centro-Avante e fazendo gols?

Em 2002, além da “não-convocação” de Romário, uma das maiores contestações foi Anderson Polga, jogador gremista, que ganhara a sua vaga para a Copa do Mundo após aquele tão lembrado e comemorado título da Copa do Brasil, vencido pelo tricolor gaúcho, então treinado pelo Tite, em cima do tão badalado Corinthians.

Henrique e Polga foram leais a Felipão, e ambos foram premiados por isso. O nosso treinador quer ter o elenco na mão e aposta nisso para levantar o caneco pela segunda vez.

Abraços.
Caio Di Pacce.

PS: É bom estar de volta.

Palmeiras = Libertadores + Série B

A vida do torcedor palmeirense variou demai no ano de 2012, após um primeiro semestre perfeito, celebrado desde a festa para São Marcos até com o bi-campeonato da Copa do Brasil, após partidas excepcionais, principalmente, contra Grêmio e Coritiba. Felipão voltou a sorrir, a torcida fez uma festa linda nas ruas de São Paulo, voltamos a celebrar como há tempos não fazíamos.

Mas, veio o segundo semestre. Para que o time vencesse a Copa do Brasil, abrimos mão do Brasileirão. Abrimos mão demais, o time conquistou 27 pontos em 29 rodadas, menos de 1 ponto por rodada em média. E, depois da derrota em Araraquara contra o Coritiba, o caixão foi enterrado. Sim, sim, ainda tem mais rodadas, mas o time está todo desfalcado e sentido.

Só o Palmeiras é capaz de dar tanta alegria e tristeza para o seu torcedor em tão pouco tempo. Eu vou lembrar de 2012 como o ano da despedida de São Marcos, e vou lembrar daquele 12/07 onde celebrei, gritei, chorei, cantei. Daquele dia que saí da Pompéia com os amigos, cantando no carro e fui para a Paulista celebrar a taça conquistada.

Que venha a Libertadores e a série B. Amarei meu clube do mesmo jeito, em ambas as competições.

Abraços.
Caio di Pacce.

Palmeiras 2 x 0 Coritiba: Vitória da superação

– Pirata! Esse foi pra você!

Hoje a Arena Barueri foi palco da primeira mão da final da Copa do Brasil entre Palmeiras x Coritiba. A torcida palestrina fez festa, pressão e viu um time do Coritiba muito melhor montado no primeiro tempo. Com chances claras de gol, mas futebol é bola na rede.

O Palmeiras sentiu muito a falta de Hernan Barcos e Henrique, principalmente no primeiro tempo, a bola não ficava no campo de ataque do time palestrino, a bola ia e voltava, com muita velocidade. O Coxa era mais técnico e jogava nas falhas de cobertura pelas laterais do campo, com isso criou muitas chances de gol que pararam nas mãos do goleiro Bruno.

O Palmeiras chegava muito pouco, com Valvidia, que sofreu uma falta lateral aos 45 minutos da primeira etapa. Assunção alçou a bola na área e Betinho sofreu o Penalti. O Mago pegou a bola e colocou na rede. 1×0 pro Palmeiras, um resultado totalmente antagonico com o jogado em campo, mas futebol é assim.

Na segunda etapa, o Palmeiras melhorou, o Coritiba sentiu o gol e cansou, não conseguiu manter a velocidade e marcação pressão na defesa do Palmeiras, assim Valdívia sofreu mais uma falta. Assunção alçou outra bola na área, Thiago Heleno desviou e definiu o placar. O Mago ainda foi infantilmente expulso, e Maikon Leite perdeu um gol incrível.

O time com 10 campo mostrou muita vontade e disposição e não sofreu pressão, só na bola alçada, aí Thiago Heleno e Maurício Ramos foram gigantes, e tiraram todas. O Palmeiras foi mais uma vez copeiro e fez um excelente resultado, primeiramente por não ter jogado melhor que o Coritiba, principalmente no primeiro tempo e depois por fazer 2×0 em uma final de Copa do Brasil.

Falta um jogo, ainda não tem nada definido. Mas o Palmeiras fez um excelente resultado.

Abraços.
Caio Di Pacce.

Classificação nos pés do Mago e no estilo Felipão.

Ontem o Palmeiras se classificou para a final da Copa do Brasil, a vaga estava bem encaminhada após a vitória por 2×0 no Olímpico contra o Grêmio, mas o time gaúcho é o imortal e eles viriam pilhados para a partida.

O Palmeiras começou melhor, teve uma chance incrível, em belo jogada de Mazinho, se Daniel Carvalho usasse um número a mais da chuteira era gol do Palmeiras. O gramado estava judiado, devido às fortes chuvas em Barueri, logo o jogo ficou muito brigado e aguerrido, como os clássicos Palmeiras x Grêmio dos anos 90.

Só que naquela época o Felipão vestia azul. E dessa vez, veste verde. Ele preparou o time para subir na boa, esperando o Grêmio chegar, e chegou, mas a defesa palestrina estava dando conta do recado. Mais uma vez Henrique na cabeça da área foi excepcional, conseguiu controlar as ações dos meias gremistas, que chegavam só na base do chuveirinho.

Na segunda etapa, Luxemburgo foi para o tudo ou nada, colocou um terceiro meia e depois um terceiro atacante, e abriu o placar aos 14 minutos. Minutos antes do gol, Valdívia entrou em campo, seu primeiro jogo após o sequestro. Entrou em campo ovacionado pela torcida.

E entrou sorrindo, na primeira investida já arranjou uma confusão com o marcador, na segunda driblou o volante, passou para Juninho, recebeu de volta em empatou o placar. Na comemoração vibrou muito, e foi dar um montinho no Felipão pra comemorar! A cena do ano.

Minutos depois Barcos se livrou da marcação e ia entrar com bola e tudo até Rondinelly entrar por trás e ser expulso. Henrique foi tomar satisfação, Edilson, lateral gremista, ficou nervoso e deu um direto de esquerda na cara do capitão palestrino: Outro gremista expulso.

Henrique também tomou um vermelho, a contra do gosto do árbitro, que ouviu as opiniões do bandeirinha e 4o árbitro, após expulsar o o jogador.

O Palmeiras assim se classificou para uma final, após 4 anos, desde a final do Paulistão de 2008. Chega com moral, mas o Coritiba é um time complicado, difícil de se enfrentar, ou precisamos lembrar aquele fatífico 6×0? Mas final é final, 50% de chance para cada lado. Dois jogos sem favoritos.

Abraços.
Caio di Pacce.