Com a mão na taça

No lindo estádio de gramado sintético de Guadalajara, o Internacional enfrentou o Chivas pela primeira mão da final da Libertadores da América. E o bi-campeonato está cada vez mais próximo.

O time colorado, que jogou de branco, veio a campo com a missão de ter a posse da bola, de rodar o jogo e esperar a hora certa para atacar os donos da casa. Alecsandro comandava o ataque, o meio campo com os argentinos Guiñazu e D´Alessandro rodavam o jogo e colocavam os mexicanos na roda.

Mas o time mexicano não chegou na final da Libertadores de graça. Após Alecsandro se machucar e entrar Everton no seu lugar, o time da casa abriu o placar, em mais uma pataquada de Renan. O ponto fraco do Internacional nos últimos jogos.

Celso Roth mexeu bem no segundo tempo e o Inter voltou a pressionar, com Rafael Sobis e o talismã Giuliano o time colorado pressionava. Talismã esse que igualou o marcador de cabeça, e botando a pressão de volta para os donos da casa.

Então os mexicanos quiseram vencer a qualquer custo, e se descuidaram na marcação. Vacilo defensivo contra o Inter é fatal. A virada veio com Bolívar, também de cabeça.

A redenção do Internacional e de Celso Roth está cada vez mais próxima, nada ainda está ganho, mas uma mão já está na taça.

Enquanto isso, no bairro de Azzena, o único consolo gremista é ver Portaluppi sendo apresentado hoje no Olímpico.

Abraços.
Caio di Pacce.

FOTO: Lancenet!

São Paulo x Inter: Vale vaga no Mundial

Ontem, em Santiago no Chile a Universidade Católica, La U, perdeu para o time mexicano Chivas Guadalajara por 2×0 em um jogo muito disputado e deveras emocionante.

Com a classificação do Chivas, clube que em seu estatuto só permite a escalação de jogadores mexicanos, o jogo de quinta-feira entre São Paulo x Internacional vale mais do que uma vaga na final da Libertadores, vale uma vaga no Mundial Interclubes.

A participação dos clubes mexicanos sempre foram questionadas, já que a vaga dos clubes da América Central e do Norte vem da CONCAFAF, não da COMENBOL. Em 2001, os jogos entre Palmeiras e Boca Juniors ganharam tons de final de campeonato, uma vez que a Cruz Azul classificara para a finalíssima.

Bem, concordando ou não com a participação mexicana, o time do Chivas mereceu chegar aonde chegou e o São Paulo mesmo aos trancos e barrancos pode chegar ao mundial. E o colorado Celso Roth, treinador do Palmeiras em 2001, pode dessa vez aproveitar da brecha que escapou de suas mãos no clube palestrino.

Abraços.
Caio di Pacce.