100 anos de Corinthians

por Sérgio Vinícius

Aí meu pai chegou definitivamente em São Paulo em janeiro de 1955. Vindo do Maranhão, procurava um time para torcer. Cansado dos sofrimentos que seu querido (para ele) e saco de pancadas (para qualquer outro time do Norte/Nordeste do Brasil) Maranhão Esporte Clube lhe garantia semanalmente, estava decidido a mudar completamente de vida. A começar pelo time de futebol.

Não aguentava mais ser alvo de chacotas de nomes como Moto Clube e Sampaio Corrêa. “Com esses nomes, quem devia rir era eu. Moto Clube deveria ser time de motocross, não futebol. Deveria chamar Futeba Clube”, costuma dizer seu Araújo, secando as lágrimas. lembrando dos tempos tristes no Nordeste.

O plano era engenhoso e simples. Entraria no primeiro estádio que encontrasse pela frente. Veria o jogo. Quem ganhasse levaria sua torcida e gratidão eternas. Antes mesmo de encontrar o lugar que havia planejado morar, começou a peregrinação.

Depois de ter invadido por engano em uma construção, nove feiras-livres e sete bondes (“Onde eu via aglomeração, achava que era estádio”), finalmente chegou ao que hoje chamamos de Estádio do Pacaembú. “Na época, era chamado de Estádio do Pacaembú também. Mas como ele nunca respondia, as pessoas não sabiam se era mesmo o nome certo”.

Já era fevereiro de 1955. (“Demorei um pouco no sexto bonde que entrei por engano. Prendi o cinto em um dos bancos e foi uma dureza me soltar. Quando consegui, já estava na Vila Carrão. Um horror!”.) O jogo era Corinthians e Palmeiras. Valia o título do Campeonato Paulista de 54.

O Corinthians foi campeão. Aparentemente, o Timão esperou meu pai entrar no estádio para ser campeão, uma vez que o Torneio do IV Centenário começou em 1954, ano em que deveria ter acabado. Mas por uma série de acontecimentos improváveis e nada correlatos, que envolveram má organização, uma cigana neurastênica e um maranhense entrando em bondes achando que era um estádio, só acabou em 55. Justamente no dia seis de fevereiro.

“Achei muita consideração do time me esperar para ganhar um torneio. Minha mãe não me esperava nem para servir a janta. Foi um troço muito interessante. Fiquei emocionado. Por fim, eu não tive alternativa a não ser torcer para ele.”

Bom, aí meu pai ficou feliz da vida em começar a nova carreira de torcedor já campeão. “Os novos tempos serão demais. Ah se o pessoal do Moto Clube ou do Sampaio Corrêa me visse agora”, pensou ele, na época. O que ele não sabia, e nunca soube, foi que esse foi o último título do Corinthians antes do jejum de quase 23 anos.

Na época, ele não sabia porque, afinal, não era vidente. Depois, ele nunca soube porque ao sair do estádio se perdeu um bocado e só conseguiu chegar a uma pensão indicada por um conterrâneo, que havia chegado em SP em 53, em 77. Ano em que acabou o jejum.

Sempre que meu pai me conta a história acima, eu digo a ele que se o Palmeiras ganhasse, então poderíamos todos ser palmeirenses. Ele sempre fecha a cara, faz o sinal do mau olhado e diz “não, nunca!”. E sempre que eu insisto no assunto, ele me coloca para fora de casa. “Nem por brincadeira fale em ser palmeirense”.

Se o Palmeiras vencesse, como seria? “Se sua mãe tivesse um pouco mais de bigode, seria são paulina. Agora, não enche.” Ele é muito cético quanto a isso. Sempre que tento informá-lo sobre o jejum corintiano, ele diz que vai me colocar num internato. Quando digo que já tenho mais de 30 anos e estou grande demais para um internato, ele manda um lavar a boca com sabão.

É por isso que eu sou corintiano. Meu pai o é porque o time esperou ele chegar em São Paulo para ser campeão. E até hoje ele defende que se o Zenon (“O maior meia do mundo em todos os tempos e o segundo melhor que ele viu no Corinthians.”) tivesse ido para as Copas de 82 e 86 no lugar do Zico, o Brasil já seria heptacampeão.

Quando pergunto como o Zenon pode ser o melhor meia de todos os tempos e, ao mesmo tempo, o segundo melhor que já jogou no Corinthians, meu pai finge que está cochilando, para encerrar a discussão. Até simula um ronco alto e baba sobre sua surrada camisa do campeonato do IV Centenário, que sempre usa durante os jogos do Corinthians, para dar mais veracidade à cena.

 Eu finjo que acredito e a gente fica em paz, torcendo pro nosso Coringão, que faz 100 anos agora.

 Parabéns, Timão!

Advertisements

12 Respostas

  1. […] This post was mentioned on Twitter by Caio di Pacce, Caio di Pacce, Caio di Pacce, Caio di Pacce, Caio di Pacce and others. Caio di Pacce said: @SiteCorinthians https://copeiros.wordpress.com/2010/08/31/100-anos-de-corinthians/ RT PLZ! […]

  2. PARABENS CORINTHIANS! O MAIOR DE TODOS.
    EU TE AMO!

  3. Conheço o Seu Araújo e sei o quão fã do Zenon ele é.

  4. Parabéns a todos nós Corinthianos.
    “Ser Corinthiano é ir além de ser ou não ser o primeiro, ser Corinthiano é ser também um pouco mais brasileiro” (Toquinho).
    Salve Corinthians – P AR A B É N S!!!!!!!
    PS: adorei o lay out da página, ficou maravilhoso.

  5. Parabéns ao timão!!!!

    BLOG DO CLEBER SOARES

  6. Po to emocionado! linda história que só o Corinthians pode criar. PArabéns Timão do meu coração!

  7. Aiii como eu amo esse time.

    Estou emocionada com esse texto

    VAIIII CORINTHIANS

    ETERNAMENTE DENTRO DOS NOSSOS CORAÇÕES!

  8. Hoje é um dia diferente de todos, é só olhar pela rua, a cada 5 pessoas na rua 2 estão vestidas com as cores do corinthians. É uma coisa bonita e emocionante de se ver, ainda mais para um corinthiano como eu.

    Gostei muito do tópico, do layout, o copeiros está de parabéns. Nunca pensei em uma homenagem tão profunda como essa. (até porque nos primordios/ no funnnnnnnnnnndo o blog tem uma raiz palestrina.) Mas, acredito que para os amantes do futebol, hoje é o dia para se deixar´de lado a rivalidade e parabenizar a história de um grande clube com tradição e que contribuiu tanto para a história politica do Barasil. Peço isso porque daqui exato a 4 anos temos o centenario do nosso rival histórico e com certeza eu o respeitarei pela história e tradição daquele clube.

    Pra não perder o costume, tenho que fala que diferente do coringão e do time la do palestra italia, um time ai do morumbi é carente de história e tradição, vencedor mas, sem tradição.

    um abraço caio e copeiros.

  9. Parabens Corinthians! 100 anos alegrando a vida de 30 milhoes de brasileiros!

  10. 3 grandes momentos do CORINTHIANS nos ultimos 42 anos.

    1- quebra do tabu contra o santos 1968.

    2 -CORINTHIANS x fluminense no rio 1976.

    3 – CORINTHIANS x ponte preta 1977. os 3

  11. Se no final da história vocês virassem santistas teria um final feliz…

    Santista polêmico.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: